Evolução biológica: ECO-EVO-DEVO na formação inicial de professores e pesquisadores

Biological evolution: ECO-EVO-DEVO in initial teachers and researchers education

  • Thais Benetti Oliveira Pós-doutoranda junto ao Programa de Educação para Ciência- Unesp Bauru. Professora da Universidade do Sagrado Coração (USC-Bauru).
  • Ana Maria Andrade Caldeira
  • Fernanda Rocha Brando
Palabras clave: didatic of biology, teacher training, biological evolution (en_US)
Palabras clave: didática da biologia, formação inicial, evolução biológica (pt_BR)

Resumen (pt_BR)

A epistemologia é uma área que fornece aportes para reflexão sobre a natureza e construção dos conhecimentos. No que é referente às Ciências Biológicas, o conceito de evolução é entendido como um eixo integrador dessa Ciência e, portanto, deve representar a integração das diversas áreas da Biologia. Um estudo epistemológico sobre evolução permite que identifiquemos uma abordagem recente de pesquisa denominada ECO-EVO-DEVO, a qual apresenta um sincronismo entre desenvolvimento, organismo e ambiente no processo evolutivo e na constituição da diversidade fenotípica. Entendemos que é de ostensiva importância que essa abordagem seja discutia durante a Formação Inicial de professores e pesquisadores em Ciências Biológicas e, portanto, pretendemos investigar meios de representa-la como uma forma a facilitar sua inserção na sala de aula. Para a realização desta investigação, organizamos um Grupo de Pesquisa em Epistemologia da Biologia (GPEB) onde foram propostas discussões acerca da evolução biológica a partir dessa abordagem. Desta forma, este artigo é sistematizado por meio de três principais eixos: 1) as características do conhecimento biológico integrado; 2) a epistemologia como parte fundamental à didática da biologia; 3) o GPEB como um espaço formativo por meio do qual pôde-se obter dados empíricos acerca de possibilidades de didatização do conhecimento biológico e 4) a proposição de diagramas para representar o percurso conceitual da abordagem integrada da evolução. Assim, um estudo aprofundado sobre as compilações contemporâneas acerca da ECO-EVO-DEVO e da pluralidade de processos que envolvem a evolução biológica, as discussões no GPEB e a elaboração de diagramas decorrentes da organização conceitual engendrada pelos participantes do grupo formam estratégias metodológicas que permitiram exemplificar caracterizações sobre a integração dos níveis biológicos no processo evolutivo. A partir desses artefatos metodológicos, é possível traçar o caminho do processo de desenvolvimento conceitual pelo grupo no que se refere à evolução sobre uma perspectiva integrada.

Resumen (en_US)

Epistemology is an area that allows reflections about nature and construction of knowledge. In what is referred to Biological Sciences, the concept of evolution is understood as unifier axis of this science and therefore should represent the integration of various Biology’s areas. An epistemological study of evolution allows us to identify a recent approach of research called ECO-ECO-DEVO, which shows the integration among development, organism and environment in evolutionary process and constitution of phenotypic diversity. We understand that is the ostensible importance that this approach is discussed in the Teacher Training on biological sciences and therefore, intend to investigate means of representation of integrated and pluralistic perspective of biological evolution as a way of “didatizar” this approach and facilitate insertion in the classroom. To accomplis this research, we organized a group of Biology’s Epistemology research (GPEB) which were proposed discussions on the biological evolution from that approach. Thus, this article is systematized through three main points: 1) the characteristics of the integrated biological knowledge; 2) epistemology as a fundamental part of the teaching biology; 3) GPEB as a formative space by which one can obtain empirical data about “didatização” possibilities of biological knowledge and 4) the proposition of diagrams to represent the conceptual path of the integrated evolution approach. Thus, a depth study of contemporary compilations about the ECO-EVO-DEVO and the plurality of processes involving biological evolution, GPEB’s discussions and the elaboration of diagrams arising from the conceptual organization engendered by group participants form methodological strategies that allowed exemplify characterizations on the integration of biological levels in the evolutionary process. From these methodological artifacts, you can trace the path of conceptual development process by the group in relation to the evolution of an integrated perspective.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Thais Benetti Oliveira, Pós-doutoranda junto ao Programa de Educação para Ciência- Unesp Bauru. Professora da Universidade do Sagrado Coração (USC-Bauru).

Departamento de Educação da Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho - Campus Bauru (FC-UNESP). Av. Luís Edmundo Carrijo Coube, s/n, Vargem Limpa. Bauru, SP - Brasil. CEP: 17033-360. 

Fernanda Rocha Brando

Departamento de Educação da Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho - Campus Bauru (FC-UNESP). Av. Luís Edmundo Carrijo Coube, s/n, Vargem Limpa. Bauru, SP - Brasil. CEP: 17033-360.

Referencias

ALMEIDA, A. M. R. D.; EL-HANI, C. N. Um exame histórico-filosófico da biologia evolutiva do desenvolvimento. Scientiae Studia, v. 8, n. 1, pp. 9-10. 2010. https://doi.org/10.1590/S1678-31662010000100002

ANDRADE, M. A. B. S. D. A epistemologia da biologia na formação de pesquisadores: compreensão sistêmica de fenômenos moleculares. 237. Tese, Doutorado em Educação para Ciências, Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2011.

BIZZO, N. M. V. Ensino de evolução e história do darwinismo.575. Tese, Doutorado em Educação, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 1991.

CALDEIRA, A.M.A; BASTOS, F. A Didática como área do conhecimento. In: CALDEIRA, A.M.A; ARAÚJO, E.S.N.N. (Org.). Introdução à Didática da Biologia. Escrituras. São Paulo: Brasil, 2009. pp. 13-33.

CARNEIRO, M. H. D. S.; GASTAL, M. L. História e Filosofia das Ciências no ensino de Biologia. Ciência & Educação, v. 11, n. 1, pp. 33-39. 2005.https://doi.org/10.1590/S1516-73132005000100003

CARROLL, S. B. Infinitas formas de grande beleza: como a evolução forjou a grande quantidade de criaturas que habitam o planeta? Zahar: Río de Janeiro, 2006.

CESCHIM, B.; DE OLIVEIRA, T. B.; DE ANDRADE CALDEIRA, A. M. Teoria Sintética e Síntese Estendida: uma discussão epistemológica sobre articulações e afastamentos entre essas teoria. Filosofia e História da Biologia, v. 11, n. 1, pp. 1-29. 2016.

CICILLINI, G. A. A produção do conhecimento biológico no contexto da cultura escolar do ensino médio: a teoria da evolução como exemplo. 283. Tese, Doutorado em Educação, Universidade Estadual de Campinas, campus de Campinas, São Paulo, 1997.

EHRENREICH, IAN M.; DAVID W. PFENNIG. Genetic assimilation: a review of its potential proximate causes and evolutionary consequences. Annals of botany, v. 117, n. 5, pp. 769-779. 2016.https://doi.org/10.1093/aob/mcv130

EL-HANI, C. N.; MEYER, D. A evolução da teoria darwiniana. ComCiência, n. 107, s. p., 2009.

FORQUIN, J. C. Saberes escolares, imperativos didáticos e dinâmicas sociais. Teoria e Educação, Porto Alegre, n. 5, pp. 28-49. 1992.

FRANCIS, R. Epigenética: como a ciência está revolucionando o que sabemos sobre hereditariedade. Río de Janeiro: Zahar, 2015.

FRANZOLIN, F. Conceitos de Biologia na educação básica e na academia: aproximações e distanciamentos. Maestría em Educação. Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

GIL PÉREZ, D. Contribución de la historia y de la filosofía de las ciencias al desarrollo de un modelo de enseñanza/aprendizaje como investigación. Enseñanza de las Ciencias, v. 11, n. 2, pp. 197-212. 1993.

GILBERT, S. F.; EPEL, D. Ecological developmental biology. Sinauer Associates. Sunderland: Estados Unidos, 2009. https://doi.org/10.1038/nrg3982

GILBERT, S. F.; BOSCH, T. C.; LEDÓN-RETTIG, C. Eco- Evo-Devo: developmental symbiosis and developmental plasticity as evolutionary agents. Nature Reviews Genetics, v. 16, n. 10, pp. 611-622. 2015.

JABLONKA, E.; LAMB, M. J. Evolução em Quatro Dimensões - DNA, Comportamento e a História de Vida. Companhia de Letras. São Paulo: Brasil, 2010.

JOBLING, M.; HURLES, M.; TYLER-SMITH, C. Human evolutionary genetics: origins, peoples & disease. Garland Science. Nueva York: Estados Unidos, 2013.

KELLER, E. F. The Century beyond the Gene. Journal of Biosciences, v. 30, n. 1, pp. 3-10. 2005. https://doi.org/10.1007/BF02705144

LALAND, K. N.; ODLING‐SMEE, J.; GILBERT, S. F. EvoDevo and niche construction: building bridges. Journal of Experimental Zoology Part B: Molecular and Developmental Evolution, v. 310, n.7, pp. 549-566. 2008.https://doi.org/10.1002/jez.b.21232

LIPPE, E.M.O.; BASTOS, F. Formação Inicial de professores de Biologia: fatores que influenciam o interesse pela carreira do magistério. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 6, Florianópolis. Atas. Belo Horizonte, ABRAPEC. 2007.

LOFEU, L.; KOHLSDORF, T. Mais que seleção. Genética na Escola, v. 10, n. 1, pp. 11-19. 2015.

LYNCH, M.; WALSH, B. LYNCH. The origins of genome architecture. Sunderland: Sinauer Associates, 2007.

MALDANER, O. A. Produção coletiva e inovação curricular como mediação da formação continuada de professores In: V SEMINÁRIO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUL – ANPED Sul, 2004, Curitiba. Anais do V Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul – ANPED Sul. Curitiba: PUCPR, p. 1-13. 2004.

MARICATO, F. E. A (re) construção coletiva do conceito de interação biológica: contribuição para a epistemologia da Biologia e a formação de pesquisadores e professores. 222. Tese, Doutorado em Educação para Ciência, Faculdade de Ciências de Bauru, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, 2012.

MARQUES-BONET, T.; RYDER, O. A.; EICHLER, E. E. Sequencing primate genomes: what have we learned? Annual review of genomics and human genetics, n. 10, pp. 355-386. 2009.https://doi.org/10.1146/annurev.genom.9.081307.164420

MAYR, E. Isto é biologia: a ciência do mundo vivo. Companhia de Letras. São Paulo. 2011.

MEGLHIORATTI, F. A. História da construção do conceito de evolução biológica: possibilidades de uma percepção dinâmica da ciência pelos professores de Biologia. Mestria Em Ensino de Ciências e Matemática, Faculdade De Ciências, Universidade Estadual Paulista Júlio De Mesquita Filho, 2004.

MÜLLER, G. B. Evo-devo: extending the evolutionary synthesis. Nature Reviews Genetics, v. 8, n. 12, pp. 943-949. 2007.https://doi.org/10.1038/nrg2219

OLIVEIRA, T. B. D. Uma pesquisa didático-epistemológica na formação inicial em ciências biológicas: como a evolução forjou a grande quantidade de criaturas que habitam o nosso planeta? 209. Doutorado em Educação para Ciência, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, campus Bauru, São Paulo, 2015.

OLIVEIRA, T. B.; CALDEIRA, A. M. A. Organismos adaptados, seleção natural e restrições do desenvolvimento: Uma discussão epistemológica acerca das relações entre esses conceitos em um Grupo de Pesquisa em Epistemologia da Biologia (GPEB). In: Caderno de Resumos do Encontro de História e Filosofia da Biologia. ABFHiB. Florianópolis: Brasil, 2013. pp. 214-219.

PIGLIUCCI, M. Do we need an extended evolutionary synthesis? Evolution, v. 61, n. 12, pp. 2743-2749. 2007.https://doi.org/10.1111/j.1558-5646.2007.00246.x

PIGLIUCCI, M., MURREN, C. J., SCHLICHTING, C. D. Phenotypic plasticity and evolution by genetic assimilation. Journal of Experimental Biology, v. 209, n. 12, pp. 2362-2367. 2006.https://doi.org/10.1242/jeb.02070

RUHERFORD, A. Criação: a origem da vida. Zahar. Río de Janeiro: Brasil, 2014.

SULTAN, S. E. Development in context: the timely emergence of eco-devo. Trends in Ecology & Evolution, v. 22, n. 11, pp. 575-582. 2007. https://doi.org/10.1016/j.tree.2007.06.014

Cómo citar
Oliveira, T., Caldeira, A. M., & Brando, F. (2017). Evolução biológica: ECO-EVO-DEVO na formação inicial de professores e pesquisadores. Góndola, Enseñanza Y Aprendizaje De Las Ciencias, 12(2), 81. https://doi.org/10.14483/23464712.10847
Publicado: 2017-07-07
Sección
ARTÍCULOS