A contextualização de conhecimentos prévios/tradicionais de alunos quilombolas: o que dizem os professores de ciências?

Contextualization of the previous/traditional knowledge of quilombolas students: What do science teachers say?

La contextualización de conocimientos previos/tradicionales de alumnos quilombolas: ¿Qué dicen los profesores de ciencias?

  • Joaklebio Alves da Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Recife, Pernambuco, Brasil.
  • Marcelo Alves Ramos Universidade de Pernambuco (UPE), Campus Mata Norte, Nazaré da Mata, Pernambuco, Brasil
Palabras clave: Intercultural dialogue between knowledge, Quilombolas, Teacher training (en_US)
Palabras clave: diálogo intercultural entre conocimientos, quilombolas, formación de profesores (es_ES)
Palabras clave: diálogo intercultural entre conhecimentos, quilombolas, formação de professores (pt_BR)

Resumen (pt_BR)

O estudo analisa as concepções de professores de anos iniciais do ensino fundamental de uma escola quilombola a respeito do conhecimento prévio/tradicional dos alunos e a contextualização desses conhecimentos em suas atividades pedagógicas nas aulas de ciências, assim como propõe as Diretrizes Curriculares para a Educação Escolar Quilombola. Através da abordagem qualitativa e com base no diagnóstico, recorte de uma pesquisa-ação, a coleta de dados procedeu através de dois roteiros com questões para entrevista semiestruturada que, posteriormente, foram submetidos a análise de conteúdo em uma perspectiva analítico-interpretativa. Contudo, foi diagnosticado que mesmo não utilizando efetivamente os conhecimentos prévios dos estudantes em sala de aula, os docentes reconhecem sua importância no processo de ensino e aprendizagem, porém, alegam não ter uma formação adequada que oferte métodos para a inserção desses conhecimentos nas aulas de ciências. Portanto, diante dos dados obtidos, é possível apontar para a necessidade de haver maior atenção para os professores que lecionam em escolas quilombolas, buscando ofertar formação continuada que evidencie práticas pedagógicas voltadas a contextualização dos conhecimentos prévios/tradicionais destes alunos.

Resumen (es_ES)

El estudio analiza las concepciones de profesores de básica primaria de una escuela quilombola, acerca del conocimiento previo/tradicional de los alumnos y la contextualización de esos conocimientos en sus actividades pedagógicas en las clases de ciencias, así como propone las Directrices Curriculares para la Educación Escolar quilombola. A través del abordaje cualitativo y con base en el diagnóstico, como parte de una investigación-acción, la recolección de datos se hizo mediante dos guiones con preguntas para una entrevista semiestructurada. Posteriormente se sometieron al análisis de contenido desde una perspectiva analítico-interpretativa. Sin embargo, se ha diagnosticado que, aun sin utilizar efectivamente los conocimientos previos de los estudiantes en el aula, los docentes reconocen su importancia en el proceso de enseñanza y aprendizaje, pero argumentan no tener una formación adecuada que ofrezca métodos para la inserción de esos conocimientos en las clases de ciencias. Por tanto, a partir de los resultados, es posible indicar la necesidad de prestar mayor atención para los profesores que enseñan en escuelas quilombolas, en la búsqueda de ofrecer formación continuada que evidencie prácticas pedagógicas orientadas hacia la contextualización de los conocimientos previos/tradicionales de estos alumnos.

Resumen (en_US)

This study analyzes the conceptions of primary school teachers of a Quilombola school about students’ previous/traditional knowledge and the contextualization of that knowledge in their pedagogical activities in science classes, as well as proposes curricular guidelines for Quilombola school education. Through the qualitative approach and based on the diagnosis, as part of action research, data were collected using two scripts with questions for a semi-structured interview. Subsequently, the data underwent content analysis from an analytical-interpretative perspective. The finding is that, even without effectively using students’ previous knowledge in the classroom, teachers recognize its importance in the teaching and learning processes but claim that they do not have adequate training to apply methods for using this knowledge in science classes. Therefore, the results indicate a need to pay more attention to teachers in Quilombola schools, such as by offering continuous training in pedagogical practices oriented towards contextualizing students’ previous/traditional knowledge.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Joaklebio Alves da Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Recife, Pernambuco, Brasil.

Licenciado em Ciências Biológicas. Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestrado Profissional em Educação) da Universidade de Pernambuco (UPE), Campus Mata Norte, Nazaré da Mata, Pernambuco, Brasil. Doutorando em Ensino de Ciências e Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino das Ciências da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Recife, Pernambuco, Brasil.

Marcelo Alves Ramos, Universidade de Pernambuco (UPE), Campus Mata Norte, Nazaré da Mata, Pernambuco, Brasil

Professor Adjunto da Universidade de Pernambuco (UPE), Campus Mata Norte, Nazaré da Mata, Pernambuco, Brasil. Coordenador Geral de Pesquisa da Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Inovação da UPE. Mestre em Ciências Florestais e Doutor em Botânica pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Recife, Pernambuco, Brasil.

Referencias

ALBUQUERQUE, U.P.; ALVES, A.G.C. O que é Etnobiologia? In: ALBUQUERQUE, U. P. (org.). Introdução à Etnobiologia. NUPEEA. Recife: Brasil. 2014. pp. 17-22.

AUGUSTO, T.G.S.; AMARAL, I.A. A formação de professoras para o ensino de ciências nas séries iniciais: análise dos efeitos de uma proposta innovadora. Ciência & Educação, Bauru-SP, v. 21, n. 2, pp. 493-509. 2015. https://doi.org/10.1590/1516-731320150020014

AUSUBEL, D.P. Aquisição e Retenção de Conhecimentos: Uma Perspectiva Cognitiva. Plátano. Lisboa: Portugal. 2003.

BAPTISTA, G.C.S.A Etnobiologia como subsídio metodológico para o ensino e aprendizagem significativa em Ciências Biológicas. Revista da FAEEBA- Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 11, n. 17, pp. 179-185. 2002.

BAPTISTA, G. C. S. A contribuição da etnobiologia para o ensino e a aprendizagem de Ciências: estudo de caso em uma escola pública do estado da Bahia. 180 f. Dissertação (Mestrado em Ensino, Filosofia e História das Ciências) - Universidade Federal da Bahia: Universidade Estadual de Feira de Santana, Salvador. 2007.

BAPTISTA, G.C.S. Do Cientificismo ao Diálogo Intercultural na Formação do Professor e Ensino de Ciências. Interacções, Lisboa, n. 31, pp. 28-53. 2014.

BASTOS, F. Construtivismo e ensino de Ciências. In: NARDI, R. Questões atuais no ensino de Ciências. Série Educação para a ciência. Escrituras. São Paulo: Brasil. 2005. pp. 9-25.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. MEC/SEF. Brasília: Brasil. 1997. 126 pp.

BRASIL. Ministério da Eduçao. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola. Parecer CNE/CEB, n. 16. 2012.

BUENO, G.M.G.; FARIAS, S.A.; FERREIRA, L.H. Concepções de ensino de Ciências no início do século XX: o olhar do educador alemão Georg Kerschensteiner. Ciência & Educação, Bauru-SP, v. 18, n. 2, pp. 435-45. 2012. https://doi.org/10.1590/S1516-73132012000200013

CAMPOS, M.C.; GALLINARI, T.S. A educação escolar quilombola e as escolas quilombolas no Brasil. Revista NERA, Presidente Prudente-SP, v. 20, n. 35, pp. 199-217. 2017.

CARRIL, L.F.B. Os desafios da educação quilombola no Brasil: o território como contexto e texto. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro-RJ, v. 22, n. 69, pp. 539-564. 2017. https://doi.org/10.1590/s1413-24782017226927

CERQUEIRA, D.D.; GONZALEZ, W.R.C. Trajetórias e reflexões sobre educação não formal. Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 12, n. 23, pp. 377- 404. 2016.

FONSECA, M.V. As primeiras práticas educacionais com características modernas em relação aos negros no Brasil. In: CAMPOS, M.M.M. et al. (Org.). Negro e educação: presença do negro no sistema educacional brasileiro. Ação Educativa/ANPED. São Paulo: Brasil. 2001. pp. 11-36.

GOMES, R. Análise de Interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In: MINAYO, M.C. de S.; DESLANDES, S.F.; GOMES, R. (org.). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 31. Ed. Vozes. Petrópolis-RJ: Brasil. 2012. pp. 79-108.

JESUS, F.S. Os desafios para a implementação da Lei 10.639/03: uma análise a partir de outros olhares epistêmicos. Horizontes, Itatiba-SP, v. 35, n. 2, pp. 49-58. 2017. https://doi.org/10.24933/horizontes.v35i2.321

KOVALSKI, M.L.; OBARA, A.T. O estudo da etnobotânica das plantas medicinais na escola. Revista Ciência e Educação. Bauru, v. 19, n. 4, pp. 911-927. 2013. https://doi.org/10.1590/S1516-73132013000400009

MATA, N.D.S. Participação da mulher Wajãpi no uso tradicional de plantas medicinais. 2009. 141 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional) - Universidade Federal do Amapá, Macapá. 2009.

MEDEIROS, M.F.T.; ALBUQUERQUE, U.P. (org). Dicionário Brasileiro de Etnobiologia e Etnoecologia. SBEE/NUPEEA. Recife: Brasil. 2012.

MIOLA, P.; PIEROZAN, S.S.H. O Ensino de Ciências na Formação do Pedagogo. In: EDUCERENE- XII CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Paraná. 2015.

MUNANGA, K. O negro no Brasil de hoje. Global. São Paulo: Brasil. 2006.

NASCIBEM, F.G.; VIVEIRO, A.A. Para além do conhecimento científico: a importância dos saberes populares para o Ensino de Ciências. Interacções, Lisboa, n. 39, pp. 285-295. 2015.

OVIGLI, D.F.B.; BERTUCCI, M.C.S. A formação para o ensino de ciências naturais nos currículos de pedagogia das instituições públicas de ensino superior paulista. Ciências & Cognição, Ilha do Fundão-RJ, v. 14, n. 22, pp. 194-209. 2009.

PRUDÊNCIO, C.A.V.; GUIMARÃES, F.J. A contextualização no ensino de ciências na visão de licenciandos. In: XI ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS- XI ENPEC. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2015.

RAPIMÁN, D.Q. Pesquisa Qualitativa em Educação. In: TAVARES, M.; RICHARDSON, R.J. (Org.). Metodologias Qualitativas: teoria e prática. CRV. Curitiba: Brasil. 2015. pp. 211-230.

SILVA, J.A.N. Conquista de direitos, Ensino de Ciências/Biologia e a prática da sangria entre os/as Remetu-Kemi e povos da região Congo/Angola: Uma proposta de articulação para a sala de aula. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), Uberlândia-MG, v. 9, n. 22, pp. 149-175. 2017.

SILVA, J.E.; PILAU, N.C. O conhecimento tradicional e a propriedade intelectual: uma proposta para futura repartição de ganhos. Unifebe, Brusque, v. 11, n. 10, pp. 144-147. 2012.

SOARES, E.G. Educação Escolar Quilombola: Reafirmação de uma Política Afirmativa. Reunião Científica Regional da ANPED. Educação, movimentos sociais e políticas governamentais. Curitiba. 2016.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. 6. ed. Artmed. Porto Alegre: Brasil. 1998.

TRINDADE, C.B.S.; ARAGÃO, R.M.R. Educação Escolar Quilombola: interfaces, travessias e fronteiras da prática pedagógica. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), Uberlândia-MG, v. 8, n. 18, pp. 280-295. 2016.

VITORASSO, M.E.K. Conhecimentos prévios: concepções de dois professores de uma escola particular da cidade de São Paulo. 49f. Monografia (Licenciatura em Ciências Biológicas) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo. 2010.

Cómo citar
da Silva, J. A., & Ramos, M. A. (2019). La contextualización de conocimientos previos/tradicionales de alumnos quilombolas: ¿Qué dicen los profesores de ciencias?. Góndola, Enseñanza Y Aprendizaje De Las Ciencias (Bogotá, Colombia), 15(1), 152-170. https://doi.org/10.14483/23464712.14319
Publicado: 2019-12-26
Sección
ARTÍCULOS