A consideração da diversidade cultural no ensino de ciências: percepções de futuros professores

La consideración de la diversidad cultural en la enseñanza de las ciencias: percepciones de futuros profesores

The consideration of cultural diversity in science education: perception of future teachers

Palabras clave: teaching and training, scientific education, intercultural education, teacher training (en_US)
Palabras clave: enseñanza y formación, educación científica, educación intercultural, formación de profesores (es_ES)
Palabras clave: ensino e formação, educação científica, educação intercultural, formação de professores (pt_BR)

Resumen (pt_BR)

Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa qualitativa cujo objetivo central foi identificar qual a percepção dos estudantes dos cursos de Biologia e Pedagogia da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Bahia, Brasil, sobre a consideração da diversidade cultural presente nas salas de aulas nos momentos de ensino e, com base nisto, abalizar proposições que contribuam para os currículos desses cursos e formação docente sensível à diversidade cultural. Os dados foram obtidos por meio de entrevista semiestruturada com dez futuros professores. As falas foram transcritas e sobre elas procedeu-se a Análise de Conteúdo. A maioria dos entrevistados acredita que não está preparada para lidar com a diversidade cultural presente nas escolas e salas de aula, nem mesmo após a conclusão dos seus respectivos cursos. Concluímos que a inserção e a interação do futuro docente no ambiente escolar devem ser realizadas ainda no início do curso, e não de forma reduzida a um espaço isolado, que a restrinja apenas nos componentes curriculares de estágio.

Resumen (es_ES)

Este artículo presenta los resultados de una investigación cualitativa cuyo objetivo principal fue identificar la percepción de los estudiantes de los cursos de Biología y Pedagogía, de la Universidad Estatal Feira de Santana (UEFS), Bahía, Brasil, sobre la consideración de la diversidad cultural presente en las aulas en momentos de enseñanza y, con base en esto, apoyar propuestas que contribuyan al plan de estudios
de estos cursos y a la formación de docentes sensibles a la diversidad cultural. Los datos se obtuvieron a través de entrevistas semiestructuradas con diez futuros maestros. Las declaraciones fueron transcritas y se realizó un análisis de contenido en ellas. La mayoría de los encuestados consideran que no están preparados para lidiar con la diversidad cultural presente en las escuelas y aulas, ni siquiera después de que hayan completado sus respectivas carreras de formación. Concluimos que la inserción e interacción del futuro docente en el entorno escolar debe realizarse al comienzo del curso, y no de forma reducida a un espacio aislado, lo que lo restringe solo a las componentes curriculares de pasantías.

Resumen (en_US)

This paper presents the results of a qualitative research whose main objective was to identify the perception of the students of the Biology and Pedagogy courses of the Feira de Santana State University (UEFS), Bahia, Brazil on the consideration of the cultural diversity present in the classrooms of the moments of teaching and, based on this, support propositions that contribute to the curriculum of these courses and teacher training sensitive to cultural diversity. Data were obtained through semi-structured interviews with ten future teachers. The statements were transcribed, and then, content analysis was performed. Most respondents believe they are not prepared to deal with the cultural diversity present in schools and classrooms, not even after their respective courses have been completed. We conclude that the insertion and interaction of the future teacher in the school environment should be done at the beginning of the course, and not in a reduced way to an isolated space, which restricts it only in the internship curricular components.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Camilla Ferreira Amorim, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Brasil

Licenciatura em Ciências Biológicas, Departamento de Biologia da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Brasil.

Geilsa Baptista, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Brasil

Professora titular do Departamento de Educação da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Brasil. Professora no Programa de Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências (UFBA e UEFS). Coordenadora do Grupo de Investigações em Etnobiologia e Ensino de Ciências (GIEEC-UEFS).

Referencias

AUSUBEL, D. P.; NOVAK, J. D.; HANESIAN, H. Educational psychology: a cognitive view. 2a. ed. Holt, Rinehart e Winston. New York: Estados Unidos. 1978.

BAPTISTA, G. C. S. Importância da demarcação de saberes no ensino de Ciências para sociedades tradicionais. Ciência & Educação, v. 16, n. 3. 2010. Disponible en: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v16n3/v16n3a12.pdf. Visitado en: 03 de agosto de 19. https://doi.org/10.1590/S1516-73132010000300012

BAPTISTA, G. C. S. Do cientificismo ao diálogo intercultural na formação do professor e ensino de ciências. Revista Interacções, Santarém, Portugal, n. 31, pp. 28-53. 2014.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Traducido por: RETO, L. A.; PINHEIRO, A. Edições 70. Lisboa: Portuga. 2011.

BEGOSSI, A. Ecologia humana: um enfoque das relações homem-ambiente. Interciência, Caracas, v. 18, n. 1, pp. 121-132. 1993.

BERLIN B. Folk systematics in relation to biological classification and nomenclature. ANNUAL REVIEW OF ECOLOGY, EVOLUTION, AND SYSTEMATICS. Palo Alto (Estados Unidos), v. 4, pp. 259-271. 1973. https://doi.org/10.1146/annurev.es.04.110173.001355

BEZERRA, D. B.; SANTOS, A. C. dos. Aprendizagem significativa em ciências: revelando saberes na produção de fanzines. Experiências em Ensino de Ciências, Cuiabá, Mato Grosso, Brasil, v. 13, n. 4, pp. 1-14. 2018.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação. Porto Editora. Porto: Portugal. 1994.

BRAGATO, F. F. Diálogo intercultural para um mundo pluriversal: um caminho por onde andar. 2017. Disponible en: <https://emporiododireito.com.br/leitura/dialogo-intercultural-para-um-mundo-pluriversal-um-caminho-por-onde-andar>. Visitado en: 29 de julio de 2017.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Resolução CNE/CP 1/2002. Diário Oficial da União, Brasília, 9 de abril de 2002. Seção 1, p. 31.

CANDAU, V. M. F. Sociedade, cotidiano escolar e cultura(s): uma aproximação. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 79, pp. 125-161. 2002. https://doi.org/10.1590/S0101-73302002000300008

CANDAU, V. M. F. Diferenças culturais, cotidiano escolar e práticas pedagógicas. Currículo sem Fronteiras, Lisboa, v. 11, n. 2, pp. 240-255. 2011.

COBERN, W. W. Constructivism and non‐western science education research. International Journal of Science Education, Londres, v. 18, n. 3, pp. 295-310. 1996. https://doi.org/10.1080/0950069960180303

COBERN, W. W.; LOVING, C. C. Defining “science” in a multicultural world: implications for science education. Science Education, New York, v. 85, n. 1, pp. 50-67. 2001. https://doi.org/10.1002/1098-237X(200101)85:1<50::AID-SCE5>3.0.CO;2-G

COPPETE, M. C. Educação intercultural e sensibilidade: possibilidades para a docência. 593 p. Programa de Pós-Graduação em Educação, Doutorado em Educação - Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

CRESWELL, J. W. Research design qualitative, quantitative, and mixed methods Approaches. SAGE Publications, Inc. Londres: Inglaterra. 2009.

CREPALDE, R.; AGUIAR-JÚNIOR, O. G. de. Abordagem intercultural na educação em ciências: da energia pensada à energia vivida. Educação em Revista, Belo Horizonte, Mias Gerais, Brasil, v. 30, n. 3, pp. 43-61. 2014. https://doi.org/10.1590/S0102-46982014000300003

DUARTE, P.; MOREIRA, A. I. Epistemologia na profissão docente: a perspectiva dos professores em formação sobre formação inicial, supervisão pedagógica e identidade profissional. RIAEE – Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. esp. 3, pp. 1964-1994. 2018. https://doi.org/10.21723/riaee.unesp.v13.iesp3.dez.2018.11324

FERREIRA, M. S.; SELLES, S. E. Saberes docentes e disciplinas escolares na formação de professores em Ciências e Biologia. In: SELLES, S. E. et al. (Org.). Ensino de biologia: história, saberes e práticas formativas. EDUFU. Uberlândia: Brasil. 2009, pp. 49-70.

FORQUIN, J. C. Escola e Cultura: a sociologia do conhecimento escolar. Artes Médicas. Porto Alegre: Brasil. 1993.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 43a. ed. Paz e terra. São Paulo: Brasil. 2011.

GEERTZ, C. The Interpretation of Cultures. Basic Books. New York: Estados Unidos. 1973.

GIL-PÉREZ, D. et al. Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação, Bauru, v. 7, n. 2, pp. 125-153. 2001. https://doi.org/10.1590/S1516-73132001000200001

GIROUX, H.; SIMON, R. Cultura popular e pedagogia crítica: a vida cotidiana como base para o conhecimento curricular. In: MOREIRA, A. F.; SILVA, T. T. da (Orgs.). Currículo, cultura e sociedade. 2a. ed. Cortez. São Paulo: Brasil. 1995. pp. 93-124.

GADOTTI, M. Convite à leitura de Paulo Freire. Scipione. São Paulo: Brasil. 1999.

LEDERMAN, N. G.; LEDERMAN, J. S.; ANTINK, A. Nature of science and scientific inquiry as contexts for the learning of science and achievement of scientific literacy. International Journal of Education in Mathematics, Science and Technology, Ames (Iowa), v. 1, n. 3, pp. 138-147. 2013.

MANRIQUE, A. L.; LÜDKE, M. O Estágio em Cursos de Licenciatura: que reflexão? Que conhecimentos? In: VII SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LA RED ESTRADO (VII Rede ESTRADO). Buenos Aires. Asociación Red Estrado. Anais do VII Seminário Internacional Red ESTRADO. CD, 2008.

MCALLISTER, G.; IRVINE, J. J. Cross Cultural Competency and Multicultural Teacher Education. Review of Educational Research, Washington, v. 70, n. 1, pp. 3-24. 2000. https://doi.org/10.3102/00346543070001003

MOREIRA, A. F.; SILVA, T. T. Sociologia e teoria crítica do currículo: uma introdução. In: MOREIRA, A. Flávio; SILVA, T. T. da (Orgs.). Currículo, cultura e sociedade. 1a. ed. Cortez. São Paulo: Brasil. 1994. pp. 7-31.

MORIN, E. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 20a. ed. Bertrand Brasil. Rio de Janeiro: Brasil. 2012.

MOURA, B. A. O que é natureza da Ciência e qual sua relação com a História e Filosofia da Ciência? Revista Brasileira de História da Ciência, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, pp. 32-46. 2014.

NELSON, C. E. et al. The nature of science as a foundation for fostering a better understanding of evolution. Evolution: Education and Outreach, United Kingdom, v. 12, n. 1. 2019. https://doi.org/10.1186/s12052-019-0100-7

OLIVEIRA, E. de et al. Análise de conteúdo e pesquisa na área da educação. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 4, n. 9, pp. 11-27. 2003. https://doi.org/10.7213/rde.v4i9.6479

PIMENTA, S. G. De Professores, Pesquisa e Didática. Papirus. Campinas: Brasil. 2002.

POSEY, D. A. Etnobiologia: teoria e prática. In: RIBEIRO, D. (ed.). Suma Etnológica Brasileira. Edição atualizada do Handbook of South American Indians. 3a. Edição, v. 1. Vozes/FINEP. Petrópolis: Brasil. 1997. pp. 1-15.

RODRIGUES, P. C. R. Multiculturalismo – A diversidade cultural na Escola. 146 p. Programa de Mestrado em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico, Mestrado em Professores do 1º Ciclo - Escola Superior de Educação João de Deus, Lisboa. 2013.

ROSA, M.; OREY, D. C. Aproximando diferentes campos de conhecimento em educação: a etnomatemática, a etnobiologia e etnoecologia. VIDYA, Santa Maria, v. 34, n. 1, pp. 1-14. 2014.

SILVA, K. V.; SILVA, M. H. Dicionário de Conceitos Históricos. Contexto. São Paulo: Brasil. 2006.

SCHEID, N. M. J.; SOARES, B. M.; FLORES, M. L. T. Universidade e Escola Básica: uma Importante Parceria para o Aprimoramento da Educação Científica. In: I SIMPÓSIO NACIONAL DE ENSINO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (I SINECET). Ponta Grossa. Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Ciência e Tecnologia – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Anais do I SINECET. 2009. https://doi.org/10.3895/S1982-873X2009000200005

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 15. ed. Vozes. Petrópolis: Brasil. 2013. pp. 33-45.

TUNES, E.; TACCA, M. C. V. R.; BARTHOLO JUNIOR, R. S. O professor e o ato de ensinar. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 126, 689-698. 2005. https://doi.org/10.1590/S0100-15742005000300008

UNESCO. Relatório Mundial da UNESCO: Investir na diversidade cultural e no diálogo Intercultural. 2009. Disponible en: <http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001847/184755por.pdf>. Visitado en: 24 de julio de 2017.

VAYDA, A. P.; RAPPAPORT R. A. Ecology, cultural e non cultural. In: CLIFTON, J. A. (Ed.). Introduction to Cultural Anthropology. Houghton. Boston: Estados Unidos. 1968. pp. 477-497.

VIEIRA, K. A. L; BADIA, D. D. O ensino de antropologia nos cursos de pedagogia: caminhos para a diversidade. Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 11, n. 20, pp. 247-269. 2015.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. Martins Fontes. São Paulo: Brasil. 1984.

Cómo citar
Ferreira Amorim, C., & Geilsa. (2020). La consideración de la diversidad cultural en la enseñanza de las ciencias: percepciones de futuros profesores. Góndola, enseñanza Y Aprendizaje De Las Ciencias, 15(3), 444-459. https://doi.org/10.14483/23464712.14939
Publicado: 2020-09-01