Ensino de química baseado no contexto: o que dizem os professores em formação?

La enseñanza de la química a partir de temas contextuales: ¿qué dicen los docentes en formación?

Teaching chemistry based on the context: what do teachers in training say?

Palabras clave: chemistry teaching, teacher education, didactic materials (en_US)
Palabras clave: enseñanza de química, formación de profesores, material didáctico (es_ES)
Palabras clave: ensino de química, formação de professores, materiais didáticos (pt_BR)

Resumen (pt_BR)

A convergência das discussões em torno da formação de professores nos levou a repensar essa formação. Envolvemos um conjunto de professores de Química em formação em um projeto de imersão na docência, tendo um material didático temático como apoio. Uma sequência de aulas de oito professores em formação foi acompanhada por nós, gravadas em vídeo e analisadas. Realizamos uma entrevista semiestruturada, ao final da vivência, que foi analisada neste trabalho, com o objetivo de identificar tanto a percepção dos participantes em relação a “Ensinar Química” a partir de temas do contexto social, quanto a importância dada a um material didático temático no apoio às aulas. Observamos entendimentos importantes relacionando os saberes teóricos com a experiência vivenciada e a necessidade de dinamizar a produção de materiais didáticos que facilitem a organização do ensino a partir do contexto.

Resumen (es_ES)

La convergencia de las discusiones en torno a la formación de profesores nos llevó a repensar esa formación. Un grupo de ocho docentes de Química en formación participaron en un proyecto de inmersión en la docencia, teniendo como apoyo un material didáctico temático. Acompañamos las clases de los profesores en formación, las grabamos en video y las analizamos. Realizamos una entrevista semiestructurada, al final de la experiencia, que fue estudiada con el objetivo de identificar las percepciones con relación a “enseñar química” a partir de temas de contexto social, y cuál es la importancia dada a un material didáctico temático de apoyo a las clases. Observamos que hubo apreciaciones importantes que relacionan los saberes teóricos
con la experiencia vivenciada y la necesidad de dinamizar la producción de materiales didácticos que faciliten la organización de la enseñanza a partir del contexto.

Resumen (en_US)

The discussion about teacher training has became increasily inportance in education. A group of eight chemistry teachers in formation participed in a project of teachers immersion, with a didactic material based on context as support. The classes were recorded on video and then individually and collectively analyzed. We performed a semistructured interview, at the end of this experience, which is analyzed in this work, with a gol of identifying the participants' perceptions of “Teaching Chemistry” from themes of social relevance and what importance is given to this didactic themed material for support to classes. We observed important understandings relating the theoretical knowledges with the practice and the necessity of making more dynamic the production of didactic materials, that facilitate the organization of teaching based on context.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Aline de Souza Janerine, Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Brasil

 

 

 

Ana Luiza de Quadros, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil

Doutora em Educação, professora de Ensino de Química da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Referencias

AKCAY, H; YAGER, R. E. The impact of a Science/Technology/Society teaching approach on student learning in five domains. Journal of Science Education and Technology, New York, v. 19, n. 6, pp. 602-611. 2010. https://doi.org/10.1007/s10956-010-9226-7

AMBROGI, A.; VERSOLATO, E. F.; LISBOA, J. C. F. Unidades modulares de Química. Ed. Hamburg. São Paulo: Brasil. 1987.

ARMSTRONG, D. et al. The place of inter-rater reliability in qualitative research: an empirical study. Sociology, Durham, United Kingdom, v. 31, n. 3, pp. 597-606. 1997. https://doi.org/10.1177/0038038597031003015

BARBOSA, A. Implicações dos baixos salários para o trabalho dos professores brasileiros. Revista Educação e Políticas em Debate, Uberlândia, v. 2, n. 2, p. 384-408. 2012.

BOERVINKEL, D. J.; SWIERSTRA, T.; WAARLO, A. J. Reframing and Articulating Socio-scientific Classroom Discourses on Genetic Testing from an STS Perspective. Science & Education, New York, v. 23, pp. 485-507. 2014. https://doi.org/10.1007/s11191-012-9528-7

BRAIBANTE, M. E. F.; PAZINATO, M. S. O Ensino de Química através de temáticas: contribuições do LAEQUI para a área. Ciência e Natura, Santa Maria, v. 36, ed. especial II, pp. 819-826. 2014. https://doi.org/10.5902/2179460X16226

CANDELA, B. F. Desarrollo del conocimiento tecnológico y pedagógico del contenido de la química, de profesores en formación a través de la reflexión de los PaP-eRs y videos. Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias, Bogotá, v. 13, n. 1, pp. 101-119. 2018. https://doi.org/10.14483/23464712.12177

CHISPINO, A. et al. A área CTS no Brasil vista como rede social: onde aprendemos? Ciência & Educação, Bauru, v. 19, n. 2, pp. 455-479. 2013. https://doi.org/10.1590/S1516-73132013000200015

COENDERS, F.; TERLOUW, C.; DIJKSTRA, S. Assessing teachers’ beliefs to facilitate the transition to a new chemistry curriculum: What do the teachers want? Journal of Science Teacher Education, Routledge, n. 19, pp. 317-335. 2008. https://doi.org/10.1007/s10972-008-9096-5

DE JONG. O. Context-based chemical education: How to improve it? Chemical Education International, Zurique, v. 8, n. 1, pp. 1-7. 2008.

DE VOS, W.; BULTE, A. M. W.; PILOT, A. Chemistry curricula for general education: Analysis and elements of a design. In: GILBERT, J. K. et al. (orgs.). Chemical education: Towards research-based practice. 1a. ed. Kluwer Academic Publishers. Dordrecht: Holanda. 2002. pp. 101-124. https://doi.org/10.1007/0-306-47977-X_5

DUARTE, R. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Educar, Pelotas, n. 24, pp. 213-225. 2004. https://doi.org/10.1590/0104-4060.357

FLICK, U. Entrevista episódica. In: BAUER, M. W.; GASKELL, G. (orgs.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Vozes. Petrópolis: Brasil. 2002. pp. 114-126.

FONTANA, A.; FREY, J.H. The Interview: from structured questions to negotiated text. In: DENZIN, N.; LINCOLN, Y. S. (orgs.). Handbook of qualitative research. 2a. ed. Sage Publications Inc. London: England. 2000. pp. 645-672.

GEPEQ. Interações e Transformações I: elaborando Conceitos Sobre Transformações Químicas. 8a. ed. Ed. EDUSP. São Paulo: Brasil. 2004a.

GEPEQ. Interações e Transformações II: reelaborando Conceitos sobre Transformações Químicas (Cinética e Equilíbrio). 3a. ed. Ed. EDUSP. São Paulo: Brasil. 2004b.

GEPEQ. Interações e Transformações IV: Química e a Sobrevivência, Hidrosfera - Fonte de Materiais. Ed. EDUSP. São Paulo: Brasil. 2006.

GEPEQ. Interações e Transformações III: Química e Sobrevivência, Atmosfera - Fontes de Materiais. 2a. ed. Ed. EDUSP. São Paulo: Brasil. 2014.

LOURENCETTI, G. C. A baixa remuneração dos professores: algumas repercussões no cotidiano da sala de aula. Revista Educação Pública, Rio de Janeiro, v. 23, n. 52, p. 13-32. 2014. DOI: 10.29286/rep.v23i52.1422.

LUTFI, M. Cotidiano e educação em química: os aditivos em alimentos como proposta para o ensino de química no segundo grau. Ed. Unijuí. Ijuí: Brasil. 1988.

LUTFI, M. Os ferrados e os cromados: produção social e apropriação privada do conhecimento químico. Ed. Unijuí. Ijuí: Brasil. 1992.

MALDANER, O. A. A pesquisa como perspectiva de formação continuada de professores de Química. Química Nova, São Paulo, v. 22, n. 2, pp. 289-292. 1999. https://doi.org/10.1590/S0100-40421999000200023

MALDANER, O. A. Formação inicial e continuada de professores de Química: professores/pesquisadores. 2a. ed. rev. Unijuí. Ijuí: Brasil (Educação em Química). 2003.

NÓVOA, A. Professores: imagens do futuro presente. Educa. Lisboa: Portugal. 2009.

OVERMAN, M. et al. Students' Perceptions of Teaching in Context-based and Traditional Chemistry Classrooms: Comparing content, learning activities, and interpersonal perspectives. International Journal of Science Education, Melbourne, v. 36, n. 11, pp. 1871-1901. 2014. https://doi.org/10.1080/09500693.2013.880004

PORLÁN, R.; RIVIERO, A. El conocimiento de los professores. Díada. Sevilla: Espanha. 1998.

QUADROS, A. L. Entendendo o Ciclo da Água. (Coleção Temas de Estudo em Química). 1a. ed. Didática Editora do Brasil Ltda. Contagem – MG: Brasil. 2016.

QUADROS, A. L. Aulas no Ensino Superior: estratégias que envolvem os estudantes nas aulas. Appris. Curitiba: Brasil. 2018.

QUADROS, A. L.; SILVA, G. F. A água na Natureza. (Coleção Temas de Estudo em Química). 1a. ed. Didática Editora do Brasil Ltda. Contagem – MG: Brasil. 2016.

QUADROS, A. L.; RODRIGUES, V. A. B.; BOTELHO, M. L. S. T. A imersão na docência com aulas temáticas: uma vivência de professores de Química em formação. Currículo sem Fronteiras, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, pp. 566-583. 2018.

QUADROS, A. L.; SILVA, G. F.; SILVA-MARTINS, D. C. As plantas e o Ciclo dos Elementos. (Coleção Temas de Estudo em Química). 1. ed. Didática Editora do Brasil Ltda. Contagem – MG: Brasil. 2016.

SANTOS, W. L. P. Contextualização no ensino de Ciências por meio de temas CTS em uma perspectiva crítica. Ciência & Ensino, Bauru, v. 1. 2007.

SANTOS, W. L. P.; MÓL, G. S. Química Cidadã. Volume 1, 2 e 3 (Livro do Aluno). 3a. ed. Ed. AJS. São Paulo: Brasil. 2017.

SOUZA, D. V.; ZIONE, F. Novas perspectivas de análise em investigações sobre meio ambiente: a teoria das representações sociais e a técnica qualitativa da triangulação de dados. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 12, n. 2, pp. 76-85. 2003. https://doi.org/10.1590/S0104-12902003000200008

SPINK, M. J. O estudo empírico das representações sociais. In: SPINK, M. J. (Org.). O conhecimento no cotidiano. Brasiliense. São Paulo: Brasil. 1993. pp. 85-107.

STOLK, M. J. et al. Exploring a framework for professional development in curriculum innovation: Empowering teachers for designing context-based chemistry education. Research in Science Education, Netherlands, v. 41, n. 3, pp. 369-388, 2011. https://doi.org/10.1007/s11165-010-9170-9

UMMELS, M. Promoting conceptual coherence within biology education based on the concept-context approach. Radboud University Nijmegen. Nijmegen: Países Baixos. 2014. Disponível em: <https://elbd.sites.uu.nl/wpcontent/uploads/sites/108/2017/03/Ummels2014_tbv_ecologie_havo.pdf>. Acesso em 19/03/2018.

VOS, M. A. J. Interaction between teachers and teaching materials: on the implementation of contexto based chemistry education. Technische Universiteit Eindhoven. Eindhoven: Países Baixos. 2010. DOI: 10.6100/IR684861

WIERINGA, N.; JANSSEN, F. J. J. M.; VAN DRIEL, J. H. Biology Teachers Designing Context-Based Lessons for Their Classroom Practice-The importance of rules-of-thumb. International Journal of Science Education, Melbourne, v. 33, n. 17, pp. 2437-2462. 2011. https://doi.org/10.1080/09500693.2011.553969

YAGER, R. E.; ABD-HAMID, N. H.; AKCAY, H. The effects of varied inquiry experiences on teacher and student questions and actions in STS classrooms. Bulletin of Science, Technology & Society, New York, v. 25, n. 5, pp. 426-434. 2005. https://doi.org/10.1177/0270467605280219

YAGER, S. O.; YAGER, R. E.; LIM, G. The advantages of an STS approach over a typical textbook dominated approach in middle school science. School Science and Mathematics, Oklahoma, v. 106, n. 5, pp. 248-260. 2006. https://doi.org/10.1111/j.1949-8594.2006.tb18083.x

Cómo citar
Janerine, A. de S., & Quadros, A. L. de. (2020). La enseñanza de la química a partir de temas contextuales: ¿qué dicen los docentes en formación?. Góndola, enseñanza Y Aprendizaje De Las Ciencias, 15(3), 517-530. https://doi.org/10.14483/23464712.15195
Publicado: 2020-09-01