Experimentação de química no ensino médio: percepções e concepções de alunos e professores

Chemistry experimentation in high school: student and teacher perceptions and conceptions

Experimentación de química en la escuela secundaria: percepciones e concepciones del estudiante y del maestro

Autores/as

Palabras clave:

Experimentation, Chemistry Teaching, High School, Chemistry Laboratory, Science Teaching (en).

Palabras clave:

Experimentação, Ensino de Química, Ensino Médio, Laboratório de Química, Ensino de Ciências (pt).

Palabras clave:

Experimentación, Enseñanza de Química, Escuela Secundaria, Laboratorio de Química, Enseñanza de Ciencias (es).

Resumen (pt)

Este trabalho teve como objetivo investigar percepções e concepções de professores e alunos na realização da experimentação de Química no Ensino Médio, em um colégio técnico integrado. Para alcançar o objetivo proposto, realizou-se uma entrevista com as duas professoras de Química, e um questionário foi aplicado com os alunos do terceiro ano do Ensino Médio. Na entrevista com as professoras, foi observado que a falta de um laboratorista e a baixa carga horária da disciplina de Química dificulta a realização das aulas experimentais. Referente às respostas dos alunos, constatou-se que eles gostam das aulas de Química teóricas e experimentais, sendo que por meio da experimentação conseguem correlacionar a teoria com a prática. Isso pode estar relacionado ao método de ensino que as professoras utilizam e também pelo colégio apresentar um laboratório de Química equipado, e que quando possível, são realizadas aulas experimentais de Química. Este trabalho mostra que mesmo em uma escola técnica equipada, ainda se tem outros fatores que dificulta a frequência das aulas práticas no laboratório de Química. Para aprofundar os estudos realizados é necessária uma maior investigação a respeito de como esses fatores elencados afetam diretamente o ensino, envolvendo um maior número de escolas.  Além disso, torna-se importante avaliar de que forma, mudanças no método de ensino influenciam diretamente no aprendizado de Química. 

Resumen (en)

This work aimed to investigate the perception and conception of teachers and students in the experimentation of Chemistry, in High School, at a technical college integrated. To achieve the purpose, an interview was conducted with the two Chemistry teachers and applied a questionnaire to students in the third year of high school. Through the teacher's interview, we could evidence the lack of a laboratory technician and the low course load of the discipline difficult to carry out experimental classes. Regarding the students' answers, we found that they like the theoretical and experimental Chemistry classes, given that through experimentation they can correlate theory with practice. This result, may answer back to the teaching method, and also due the school has an equipped Chemistry laboratory, the reason why, when possible, experimental Chemistry classes are carried out. This work shows that, even in an equipped technical school, there are still other factors that hinder the frequency of practical classes in the Chemistry laboratory. In order to deepen the studies carried out, further investigation is needed as to how these listed factors directly affect teaching, involving a greater number of schools. In addition, it is important to assess how changes in the teaching method directly influence the learning of Chemistry.

Resumen (es)

Este trabajo tiene como objetivo investigar las percepciones y concepciones de profesores y estudiantes en la experimentación de la química en la escuela secundaria, en una escuela técnica integrada. Para lograr el objetivo propuesto, se realizó una entrevista con los dos profesores de Química y se aplicó un cuestionario a los estudiantes en el tercer año de la escuela secundaria. En la entrevista con los docentes, se observó que la falta de un técnico de laboratorio y la baja carga de trabajo de la disciplina Química dificultan la realización de las clases experimentales. Con respecto a las respuestas de los estudiantes, se descubrió que les gustan las clases de Química teórica y experimental, ya que por medio de la experimentación se puede correlacionar la teoría con la práctica. Esto puede estar relacionado con el método de enseñanza que usan los maestros y también porque la escuela tiene un laboratorio de Química equipado y permite realizar clases experimentales de Química. Este trabajo muestra que incluso en una escuela técnica equipada, existen otros factores que dificultan la frecuencia de las clases prácticas en el laboratorio de Química. Para profundizar los estudios realizados, se necesita más investigación sobre cómo estos factores enumerados afectan directamente a la enseñanza, involucrando a un mayor número de escuelas. Además, es importante evaluar cómo los cambios en el método de enseñanza, influyen directamente en el aprendizaje de la Química.

Referencias

ARAÚJO, M. S. T. de; ABIB, M. L. V. dos S. Atividades experimentais no ensino de física: diferentes enfoques, diferentes finalidades. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 25, n. 2, p. 176-194, 2003.

https://doi.org/10.1590/S1806-11172003000200007

BEREZUK, P. A.; INADA, P. Avaliação dos laboratórios de ciências e biologia das escolas públicas e particulares de Maringá, Estado do Paraná. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, v. 32, n. 2, p. 207-2010, 2010.

https://doi.org/10.4025/actascihumansoc.v32i2.6895

BÔAS, C. S. do N. V.; FILHO, M. P. de S. Ressonância em tubos de garrafas "pet": uma opção de baixo custo para tubos de Kundt. Experiências em Ensino de Ciências, v. 14, n. 2, p. 186-198, 2019.

BORIN, C.; GIORDAN, M. A percepção dos estudantes sobre ciência e tecnologia : uma análise em Vigotski. Enseñanza de las ciencias: revista de investigación y experiencias didácticas, v. 0, n. Extra, p. 454-457, 2009.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>, visitado 20, out., 2021

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular, 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase>, visitado 12, fev., 2020.

BRASIL. Orientações Curriculares Para o Ensino Médio Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília-DF: MEC, 2006. v. 2

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Resumo Técnico-Censo Escolar. Brasília (DF): MEC, 2010.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, v. 22, p. 89-100, 2003.

https://doi.org/10.1590/S1413-24782003000100009

CHASSOT, A. Pra que(m) é útil o Ensino? 3aED ed. Ijuí-RS: UNIJUI, 2014.

DESLANDES, S. F.; NETO, O.; GOMES, R. Pesquisa Social: Teoria, Método e Criatividade. 21 ed. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2002.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 40. ed. Rio De Janeiro- RJ: Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GALIAZZI, M. do C. et al. Objetivos das atividades experimentais no Ensino Médio: a pesquisa coletiva como modo de formação de professores de ciências. Ciência & Educação (Bauru), v. 7, n. 2, p. 249-263, 2001.

https://doi.org/10.1590/S1516-73132001000200008

GUIMARÃES, C. C. Experimentação no Ensino de Química: Caminhos e Descaminhos Rumo à Aprendizagem Significativa. Química Nova na Escola, v. 31, n. 3, p. 198-202, 2009.

LACERDA, C. C. e SEPEL, L. M. N. Percepções de professores da Educação Básica sobre as teorias do currículo. Educação e Pesquisa, v. 45, p. 0-3, 2019.

https://doi.org/10.1590/s1678-4634201945197016

LEITE, L. R.; LIMA, J. O. G. de. O aprendizado da Química na concepção de professores e alunos do Ensino Médio: um estudo de caso. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 96, n. 243, p. 380-398, 2015.

https://doi.org/10.1590/S2176-6681/340312848

LIMA, J. O. G. de. Perspectivas de novas metodologias no Ensino de Química. Revista Espaço Acadêmico, v. 12, n. 136, p. 95-101, 2012.

LACERDA, C. C. e SEPEL, L. M. N. Percepções de professores da Educação Básica sobre as teorias do currículo. Educação e Pesquisa, v. 45, p. 0-3, 2019.

https://doi.org/10.1590/s1678-4634201945197016

MATOS, D. A. S. e JARDILINO, J. R. L. Os Conceitos de Concepção, Percepção, Representação e Crença no Campo Educacional: Similaridades, Defierenças e Implicações Para a Pesquisa. Educação & Formação, v. 1, n. 3 set/dez, p. 20-31, 1 Set 2016.

https://doi.org/10.25053/edufor.v1i3.1893

MOREIRA, M. Pesquisa em ensino: aspectos metodológicos. Actas del PIDEC: Programa internacional de Doctorado em Enseñanza de las Ciencias, p. 1-73, 2009. Disponível em: <http://www.if.ufrgs.br/~moreira/pesquisaemensino.pdf>.

MOREIRA, J. da R. et al. Potencialidade de um plano de ensino pautado na atividade experimental problematizada (aep) à alfabetização científica em Química. Experiências em Ensino de Ciências, v. 14, n. 2, p. 558-581, 2019.

OKA, T. N. et al. A experimentação em Química como metodologia de ensino para a compreensão da acidificação dos oceanos. Experiências em Ensino de Ciências, v. 14, n. 2, p. 292-298, 2019.

PILETTI, C. Didática Geral. 23. ed. São Paulo-SP: Editora ática, 2004.

PINHEIRO, D. M.; NETO, O. M.; MONTONI, S. "Teoria Ou Prática: O Que Abordar Primeiro Numa Disciplina De Física?" - Uma Experiência Didática Num Curso De Graduação. Pesquisas de Educação em Ciências: Simpósio Nacional de Ensino de Física, 2009.

QUADROS, A. L. de et al. Ensinar e aprender Química: a percepção dos professores do Ensino Médio. Educar em Revista, n. 40, p. 159-176, 2011.

https://doi.org/10.1590/S0104-40602011000200011

SANTANA, S. de L. C. et al. O ensino de ciências e os laboratórios escolares no Ensino Fundamental. VITTALLE - Revista de Ciências da Saúde, v. 31, n. 1, p. 15-26, 1 ago. 2019.

https://doi.org/10.14295/vittalle.v31i1.8310

SASAKI, K. et al. Percepções de Estudantes do Ensino Fundamental Sobre sua Avaliação de Aprendizagem. Psicologia Escolar e Educacional, v. 18, n. 1, p. 77-86, Jun 2014.

https://doi.org/10.1590/S1413-85572014000100008

SOARES, E. D. L. et al. A presença do lúdico no ensino dos modelos atômicos e sua contribuição no processo de ensino aprendizagem. Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de Las Ciencias, v. 12, n. 2, p. 69, 2017.

https://doi.org/10.14483/23464712.10398

TAHA, M. et al. Experimentação Como Ferramenta Pedagógica Para O Ensino De Ciências. Experiências em Ensino de Ciências, v. 11, n. 1, p. 138-154, 2016.

VYGOSTSKY, L. S. Teoria e Método em Psicologia. São Paulo-SP: Martins Fontes, 2004.

WORD ART CREATER. wordart.com. Disponível em: <https://wordart.com>.

Cómo citar

APA

Zimmer, G. C., Folmer, V., Regina Bonini Marzari, M. ., & Colman Espíndola Lima, Q. . (2021). Experimentação de química no ensino médio: percepções e concepções de alunos e professores. Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias, 16(3), 594–605. https://doi.org/10.14483/23464712.16210

ACM

[1]
Zimmer, G.C., Folmer, V., Regina Bonini Marzari, M. y Colman Espíndola Lima, Q. 2021. Experimentação de química no ensino médio: percepções e concepções de alunos e professores. Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias. 16, 3 (oct. 2021), 594–605. DOI:https://doi.org/10.14483/23464712.16210.

ACS

(1)
Zimmer, G. C.; Folmer, V.; Regina Bonini Marzari, M. .; Colman Espíndola Lima, Q. . Experimentação de química no ensino médio: percepções e concepções de alunos e professores. Góndola enseñ. aprendiz. cienc. 2021, 16, 594-605.

ABNT

ZIMMER, G. C.; FOLMER, V.; REGINA BONINI MARZARI, M. .; COLMAN ESPÍNDOLA LIMA, Q. . Experimentação de química no ensino médio: percepções e concepções de alunos e professores. Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias, [S. l.], v. 16, n. 3, p. 594–605, 2021. DOI: 10.14483/23464712.16210. Disponível em: https://revistas.udistrital.edu.co/index.php/GDLA/article/view/16210. Acesso em: 30 nov. 2021.

Chicago

Zimmer, Geórgia Cristiane, Vanderlei Folmer, Mara Regina Bonini Marzari, y Quelen Colman Espíndola Lima. 2021. «Experimentação de química no ensino médio: percepções e concepções de alunos e professores». Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias 16 (3):594-605. https://doi.org/10.14483/23464712.16210.

Harvard

Zimmer, G. C., Folmer, V., Regina Bonini Marzari, M. . y Colman Espíndola Lima, Q. . (2021) «Experimentação de química no ensino médio: percepções e concepções de alunos e professores», Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias, 16(3), pp. 594–605. doi: 10.14483/23464712.16210.

IEEE

[1]
G. C. Zimmer, V. Folmer, M. . Regina Bonini Marzari, y Q. . Colman Espíndola Lima, «Experimentação de química no ensino médio: percepções e concepções de alunos e professores», Góndola enseñ. aprendiz. cienc., vol. 16, n.º 3, pp. 594–605, oct. 2021.

MLA

Zimmer, G. C., V. Folmer, M. . Regina Bonini Marzari, y Q. . Colman Espíndola Lima. «Experimentação de química no ensino médio: percepções e concepções de alunos e professores». Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias, vol. 16, n.º 3, octubre de 2021, pp. 594-05, doi:10.14483/23464712.16210.

Turabian

Zimmer, Geórgia Cristiane, Vanderlei Folmer, Mara Regina Bonini Marzari, y Quelen Colman Espíndola Lima. «Experimentação de química no ensino médio: percepções e concepções de alunos e professores». Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias 16, no. 3 (octubre 27, 2021): 594–605. Accedido noviembre 30, 2021. https://revistas.udistrital.edu.co/index.php/GDLA/article/view/16210.

Vancouver

1.
Zimmer GC, Folmer V, Regina Bonini Marzari M, Colman Espíndola Lima Q. Experimentação de química no ensino médio: percepções e concepções de alunos e professores. Góndola enseñ. aprendiz. cienc. [Internet]. 27 de octubre de 2021 [citado 30 de noviembre de 2021];16(3):594-605. Disponible en: https://revistas.udistrital.edu.co/index.php/GDLA/article/view/16210

Descargar cita

Visitas

16

Dimensions


PlumX


Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Artículos más leídos del mismo autor/a