A engenharia didática para o ensino de olimpíadas de matemática: situações olímpicas com o amparo do software geogebra

The Didactic Engineering for the Math Olympics Teaching: Olympic Situations with Geogebra’s Support

La ingeniería didáctica para la enseñanza de olimpiadas de matemáticas: situaciones olímpicas basadas en el software Geogebra

  • Ana Paula Rodrigues Alves Santos Instituto Fderal de educação, Ciência e tecnologia do Ceará - IFCE
  • Francisco Régis Vieira Alves Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ceará - IFCE
Palabras clave: didactic engineering, GeoGebra, mathematical Olympiads, theory of situations (en_US)
Palabras clave: geoGebra, ingeniería didáctica, olimpiadas de matemáticas, teoría de las situaciones (es_ES)
Palabras clave: engenharia didática, Geogebra, olimpíadas de Matemática, teoria das situações (pt_BR)

Resumen (pt_BR)

Nesse artigo, pretende-se apresentar um recorte parcial de uma investigação de mestrado, no qual se descrevem, de modo específico, duas fases determinadas pela Engenharia Didática – ED no contexto das olimpíadas de matemática. Assim, apresentam-se as etapas de análises preliminares e a construção de situações olímpicas/ análise à priori. Enfatiza-se uma situação olímpica que é descrita/estruturada com o amparo do software GeoGebra. A intervenção realizada pela exploração apropriada de softwares proporciona ao aprendiz oportunidades de ultrapassar determinadas dificuldades/entraves a um entendimento ou até mesmo, à construção conceitual em geometria. Nesse sentido, a referida situação olímpica foi vivenciada por alunos do nono ano do ensino fundamental II, de uma escola privada do estado do Ceará, Brasil. A situação olímpica descrita propõe a possibilidade da construção das relações métricas no triângulo retângulo, conteúdo referente a área da geometria plana. A ED apresenta-se nessa investigação, em uma visão de complementaridade que utiliza a teoria das situações didáticas – TSD. Desse modo, a situação olímpica descrita representa uma alternativa para aulas direcionadas às olimpíadas de matemática, sua indicação e estruturação, descreve elementos atinentes à mediação didática durante o processo de ensino e aprendizagem, os quais enfatizam pormenores que possibilitam controlar e prever as possíveis ações dos estudantes, assim como, proporcionar a vivência de situações didáticas mais significativas para o estudo da geometria no contexto olímpico.

Resumen (en_US)

In this article, we intend to present a partial cut of a master's research, in which we describe, in a specific way, two phases determined by Didactic Engineering - ED in the context of the Mathematical Olympiads. Thus, we have the stages of preliminary analyzes and the construction of Olympic situations/a priori analysis. We emphasize in an Olympic situation that is described/structured with the support of GeoGebra software. Intervention through the proper exploitation of software provides the learner with opportunities to overcome certain difficulties/obstacles to an understanding or even conceptual construction in geometry. In this sense, the mentioned Olympic situation was experienced by students of the ninth year of elementary education II, from a private school in the state of Ceara, Brazil. The Olympic situation described proposes the possibility of the construction of metric relations in the triangle rectangle, content referring to the area of plane geometry. The ED is presented in this research, as a vision of complementarity that uses the theory of didactic situations - TSD. In this way, the described Olympic situation represents an alternative to classes directed to the math Olympics, their indication and structure, describes elements related to didactic mediation during the teaching and learning process, which emphasize details that make it possible to control and predict the possible student’s actions, as well as, to provide the experience of more significant didactic situations for geometry study in the Olympic context.

Resumen (es_ES)

En este artículo, presentamos un avance parcial de una investigación de maestría, en el que se describen, de modo específico, dos fases determinadas por la ingeniería didáctica (ID) en el contexto de las olimpiadas de matemáticas. Así, se presentan las etapas de análisis preliminares y la construcción de situaciones olímpicas/análisis a priori. Enfatizamos en una situación olímpica que es descrita/estructurada basados en el software GeoGebra. La intervención realizada explorando de manera apropiada el software, proporciona al aprendiz oportunidades de superar ciertas dificultades/ obstáculos para la comprensión o incluso, para la construcción conceptual de la geometría. En ese sentido, la referida situación olímpica fue vivenciada por alumnos de noveno grado de secundaria, de una escuela particular del estado de Ceará, Brasil. La situación olímpica descrita propone la posibilidad de la construcción de relaciones métricas en el triángulo rectángulo, contenido referente al área de la geometría plana. La ID se presenta en esa investigación desde una perspectiva de complementariedad que utiliza la teoría de las situaciones didácticas (TSD). De este modo, la situación olímpica descrita representa una alternativa para las clases dirigidas a las olimpiadas de matemáticas, su indicación y estructuración, describe elementos relativos a la mediación didáctica durante el proceso de enseñanza y aprendizaje, que enfatizan detalles que posibilitan el control y la prevención de las posibles acciones que emprenderán los estudiantes, así como, proporciona la vivencia de situaciones didácticas más significativas para el estudio de la geometría en el contexto olímpico.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Ana Paula Rodrigues Alves Santos, Instituto Fderal de educação, Ciência e tecnologia do Ceará - IFCE
Possui licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e mestrado em Ensino de Matemática pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (Portugal). Mestranda do programa de pós-graduação em ensino de ciências e matemática pelo Instituto Federal do Ceará (IFCE). Professora de matemática com ênfase na preparação de alunos para as olimpíadas de Matemática. Reconhecida por mérito docente pela sua atuação na preparação de equipes para as olimpíadas de matemática por intermédio da coordenação da Olimpíada Cearense de Matemática (UFC).  Correio eletrônico: anapaularasantos@gmail.com
Francisco Régis Vieira Alves, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do ceará - IFCE
Doutor com ênfase no ensino da Matemática (UFC), pós-doutoramento em andamento pela Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD-Portugal). Coordenador e docente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática – PGECM/IFCE (acadêmico). Docente do mestrado profissional em Educação Tecnológica – IFCE. Professor Permanente da Universidade Federal do Ceará. Brasil. Correio eletrônico: fregis@ifce.edu.br

Referencias

ALIEVI, P. T. Soluções não clássicas para problemas da OBMEP. 47p. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática – PROFMAT). Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, 2013.

ALMOULOUD, S.A. Fundamentos da Didática da Matemática. Editora UFPR. São Paulo: Brasil. 2007.

ALVES, W.J.S. O Impacto da Olimpíada de Matemática em Alunos da Escola Pública.30p. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Matemática - PROFMAT). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC, São Paulo, 2010.

ALVES, F.R.V. Insight: descrição e possibilidades de seu uso no ensino do cálculo. VIDYA, Santa Maria, v. 32, n. 2, pp. 149-161, jul./dez. 2012.

ALVES, F.R.V. Engenharia Didática para a generalização da sequência de Fibonacci: uma experiência num curso de licenciatura. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v. 18, n. 1, pp. 61- 93. 2016a.

ALVES, F.R.V. Didática de matemática: seus pressupostos de ordem epistemológica, metodológica e cognitiva. Interfaces da Educação, v.7, n.21, p. 131-150, Paranaíba: Brasil. 2016b.

ARAÚJO, R.R. Perfil de desempenho dos alunos de ensino médio da unidade integrada Henrique Rocha, Tutóia-MA, frente a primeira fase da OBMEP. 45p. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática – PROFMAT), Universidade Federal do Piauí (UFPI), 2015.

ARTIGUE, M. Ingénièrie didactique. In: Brun, J. Didactiques des Mathématiques. Paris: Délachaux et Niestle, 1995a. pp. 243-263.

ARTIGUE, M. Ingenieria Didática. In: Artigue, Michelle; Douady, Régine; Moreno, Luis; Gomez, Pedro. Ingeniéria didatica en Educacion Matemática. Grupo Editorial Iberoamericano, Bogotá: Colombia. pp. 33-61, 1995b. Disponível em: http://funes.uniandes.edu.co/676/1/ Artigue1995Ingenieria.pdf. Acessado em: 20/02/2017.

ARTIGUE, M. Ingénierie Didactique. Recherches en Didactique des Mathématiques. Grenoble: La Pensée Sauvage-Éditions, v. 9.3, p. 281-308, 1998.

BADARÓ, R.L. Do zero às medalhas: orientações aos professores de cursos preparatórios para olimpíadas de matemática. 144p. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática - PROFMAT). Universidade federal da Bahia, Salvador, 2015.

BONFIM, A.P. Produção e Aplicação de Material Didático para estudantes iniciantes em Olimpíadas de Matemática. 243p. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática – PROFMAT). Universidade Federal do Pará, Belém, 2013.

BRAGANÇA, B. Olimpíada de Matemática para a Matemática avançar. 107p. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática - PROFMAT). Universidade Federal de Viçosa, Minas gerais, 2013.

BROUSSEAU, G. Les obstacles épistémologiques, problèmes et ingénierie didactique. In: Théorie des situations didactiques. Grenoble La Pensée Sauvage. Grenoble: Francia. 1998. pp. 115-160.

BROUSSEAU, G. Théorisation des phénomènes d'enseignement des mathématiques. Mathematics. Université Sciences et Technologies - Bordeaux I, 1986.

BROUSSEAU, G. Introdução ao Estudo das Situações Didáticas. 128p. Editora Ática. São Paulo, Brasil, 2008.

CALAZANS, M.V.F. Proposta de implantação do centro preparatório para olimpíadas de matemática. 40p. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática – PROFMAT). Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, Bahia, 2014.

CARVALHO, Márcio M. de. Resolução de problemas matemáticos olímpicos: uma abordagem aritmética modular. 62p. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática – PROFMAT). Universidade Federal do Vale do São Francisco, Bahia, 2013.

CARVALHO, Valessa, Z.F.S. Funções convexas com aplicações em problemas de olimpíadas de matemática. 60p. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática - PROFMAT). Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2013.

CARVALHO JÚNIOR, A.L.L. de. Material Multimí- dia: Resolução comentada de algumas questões do nível 3 da OBMEP sobre geometria. 64p.. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática – PROFMAT). Universidade Federal do Pará, Belém, 2013.

COCCO, E.M. Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas e avaliação em larga escala: possíveis interlocuções. 161p.. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Rio Grande do Sul, 2013.

DOCARMO NETO, V. Teorema de Pitágoras e áreas: sua aplicabilidade no banco de questões da OBMEP. 44p. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática – PROFMAT). Centro de Ciências da Natureza, UFPI, Teresina, 2014.

DOLCE, O.; POMPEO, J.N. Fundamentos de Matemática Elementar. Vol. 9: Geometria Plana. 456p. v. 7. Atual Editora. São Paulo: Brasil. 2008.

FOMIM, D.; GENKIN, S.; ITENBERG, I. Mathematical Circles – Russian Experience. 271p. Mathematical World. v. 7. Estados Unidos da América, 1993.

IEZZI, G.; MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemá- tica Elementar. Vol.1 Conjuntos e Função. 317p. 3.ed. Atual Editora. São Paulo: Brasil. 1977.

IGLIORI, S.B.C. A noção de Obstáculo Epistemológico e a Educação Matemática. In Educação Matemática Uma Introdução. Org. Silvia Machado. EDUC. São Paulo. 1999.

JACON, L.S.C; KALHIL, J.B. O professor formador e as competências em tecnologia de informação e comunicação: um estudo sobre quais recursos computacionais estes profissionais utilizam na elaboração do seu material didático. AMAZÔNIA - Revista de Educação em Ciências e Matemá- ticas, v. 8, n. 15 - jul. 2011/dez. p.27-44. 2011.

LACERDA, C.W.P. de. Sequências e séries: conhecendo e construindo estratégias de abordagem. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemá- tica – PROFMAT). Universidade Federal Rural de Pernambuco. 2014.

LAGUERRE, E. Une ingenierie didactique pour làppentisssage du theo-reme de Thales au college. Education. Universit_e Paris-Diderot - Paris VII, Français. 2005.

LITVINENKO, V.; MORDKEVICA, A. Solving Problems in Algebra and Trigonometry. Mir Publishers. Moscow: Russia. 1987.

LIDSKI, V.; OVSIANIKOV, L.V.; TULAIKOV, A.N.; SHABUNIN, M. I. Problemas de Matematicas Elementales. 3a. ed. Editorial Mir. Moscu: Russia. 1978.

LORENZATO, S. Por que não ensinar Geometria? A educação matemática em revista. Geometria. Blumenau, n. 04, pp. 03-13, 1995. Disponível em: . Acesso em 11 de janeiro 2017.

MARTINS, R.A. Colinearidade e concorrência em olimpíadas internacionais de matemática: uma reflexão voltada para o ensino da geometria. 2015. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática – PROFMAT). Universidade Federal de Brasília.

NETO, A.C.M. Geometria Plana. Tópicos de matemática elementar, vol.2. Coleção professor de matemática, SBM. 2013.

OLIVEIRA, C.C. do N. Olimpíadas de Matemática: concepção e descrição de “situações olímpicas” com o recurso do software Geogebra. 136 p. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) - Centro de Ciências, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016.

OLIVEIRA, E.C. de; CHIUMMO, A. Análise da aprendizagem de semelhança de triângulos por alunos de graduação em Matemática. VIDYA, Santa Maria, v. 35, n. 2, p. 179-195, jul./dez., 2015.

Cómo citar
Rodrigues Alves Santos, A. P., & Alves, F. R. V. (2018). La ingeniería didáctica para la enseñanza de olimpiadas de matemáticas: situaciones olímpicas basadas en el software Geogebra. Góndola, enseñanza Y Aprendizaje De Las Ciencias, 13(1), 141-154. https://doi.org/10.14483/23464712.12326
Publicado: 2018-01-01
Sección
ARTÍCULOS