As concepções sobre analogias no discurso de licenciandos em ciências biológicas

The conceptions about analogies in the discourse of teachers training in biological science

Las concepciones sobre analogías en el discurso de estudiantes de licenciatura en ciencias biológicas

  • Hederson Aparecido de Almeida Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru, Brasil
Palabras clave: Teachers’ education, Learning, Language (en_US)
Palabras clave: formación de profesores, aprendizaje, lenguaje (es_ES)
Palabras clave: formação de professores, aprendizagem, linguagem (pt_BR)

Resumen (pt_BR)

As analogias no ensino de Ciências são comparações entre dois domínios heterogêneos, um familiar e outro não familiar. Apesar de serem usadas frequentemente em sala de aula, tanto por professores quanto por alunos, é recorrente as confusões em relação ao seu significado, porque são enunciadas sem nenhum planejamento prévio. Essa constatação pode ser explicada pelo fato dos cursos de licenciatura não possuírem disciplinas que comtemplem tais discussões. Formam-se, assim, professores que utilizarão desses recursos em sala de aula, mas que não refletirão sobre a temática.  Neste sentido, o presente estudo teve por objetivo identificar quais são as concepções que alunos de dois cursos de Ciências Biológicas possuem sobre o uso das analogias no ensino. A pesquisa caracterizou-se como qualitativa, sendo os dados obtidos mediante a aplicação de um questionário semiestruturado com quatro questões. Estas mapearam a concepção dos licenciandos sobre o uso das analogias para fazerem explicações, em que momentos, e se as analogias e metáforas possuem o mesmo significado. Os resultados mostram que a concepção dos estudantes sobre o tema é diversa. Há uma íntima associação entre os órgãos análogos da biologia evolutiva com as analogias enquanto recurso didático, mostrando uma confusão entre a analogia didática e a analogia biológica. Ao tentar diferenciá-las, os discentes confundem-nas com outras tipologias de comparações, como as metáforas; utilizam do recurso para facilitar a compreensão do assunto trabalhado; quando o conceito é considerado abstrato ou difícil; para introduzir um novo assunto ou para explicar novamente um conteúdo. É necessário que as discussões em torno da temática se iniciem ainda na formação inicial para que o uso espontâneo das analogias seja superado por processos reflexivos.

Resumen (es_ES)

Las analogías en la enseñanza de las ciencias son comparaciones entre dos dominios heterogéneos, uno familiar y otro no familiar. A pesar de ser muy utilizado en la clase, tanto por profesores como por alumnos, son recurrentes las confusiones sobre su significado. Esto, porque son enunciados sin ningún planeamiento previo. Esta constatación puede ser explicada por el hecho de que estos cursos de formación de profesores no tienen materias que contemplen tales discusiones. Se educan, así, profesores que utilizarán esos recursos en el aula, pero que no reflexionarán sobre el tema. En este sentido, el objetivo es identificar cuáles son las concepciones que alumnos de dos programas de ciencias biológicas tienen sobre el uso de analogías en la enseñanza. La investigación es cualitativa, los datos se obtuvieron mediante una encuesta semiestructurada con cuatro preguntas, las cuales indagaron sobre la concepción de los licenciados respecto al uso de analogías para hacer explicaciones, en qué momento usarlas, y si analogías y metáforas poseen el mismo significado. Los resultados muestran que la concepción de los alumnos sobre el tema es diversa. Hay una asociación íntima entre los órganos análogos de la biología evolutiva con las analogías como recurso didáctico, mostrando una confusión entre la analogía didáctica y la analogía biológica. Al intentar diferenciarlas, los alumnos las confunden con otros tipos de comparaciones, como las metáforas; recurren a estas para facilitar la comprensión del tema trabajado; cuando el concepto es considerado abstracto o difícil; para introducir un nuevo tema o para explicar otra vez un contenido. Es necesario, que las discusiones acerca del tema empiecen desde la formación inicial y que el uso espontáneo de analogías sea superado por procesos reflexivos.

Resumen (en_US)

The analogies used in science teaching are comparisons between two heterogeneous domains, one familiar and the other unfamiliar. Although such analogies are widely used in class, both teachers and students are often confused about their meaning. This because the enunciations are given without any previous planning, evidenced by the fact that teacher education courses do not offer subjects concerning such discussions. Thus, teachers use these resources in the classroom but do not reflect on the subject. To shed light on this issue, this study aims to identify what conceptions students of two biological science programs have about the uses of analogies in teaching. This research is qualitative, and the data collection was carried out through a semi-structured survey with four questions. The questions inquired about students’ conceptions regarding the use of analogies to make explanations, when to use analogies, and if analogies and metaphors have the same meaning. The results showed that the students’ conceptions were diverse. There was an intimate association between the analogous organs of evolutionary biology with the analogies as a didactic resource, demonstrating confusion between the didactic analogy and the biological analogy. When trying to make differentiations, students confuse them with other types of comparisons such as metaphors, and they use this resource to facilitate their understanding of the topic, when the concept seems abstract or difficult, to introduce a new topic or to explain content. It is necessary for discussions on the subject to begin early in education and for the spontaneous use of analogies to be contemplated in reflective processes.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Hederson Aparecido de Almeida, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru, Brasil

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru, Brasil.

Referencias

ALMEIDA, H. A. As analogias utilizadas por professores de Biologia como elementos da transposição didática. 197 p. Mestrado em Educação para a Ciência e a Matemática, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2016.

ALMEIDA, H. A.; LORENCINI-JÚNIOR, A. As concepções de um professor de Biologia quanto ao uso de analogias na prática docente. ACTIO, Curitiba, v. 3, n. 2, p. 173-194, mai./ago. 2018. https://doi.org/10.3895/actio.v3n2.8085

AMORIM, D. S. Fundamentos de sistemática filogenética. Holos Editora. Ribeirão Preto: Brasil. 2002.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Trad. ANTERO RETO L.; PINHEIRO, A. Edições 70. Lisboa: Portugal. 2010.

BOZELLI, F. C. Analogias e metáforas no Ensino de Física: o discurso do professor e o Discurso do aluno. 234 p. Mestrado em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, Bauru, 2005.

BOZELLI, F. C. Saberes docentes mobilizados em contextos interativos discursivos de Ensino de Física envolvendo analogias. 258 p. Doutorado em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, Bauru, 2010.

BOZELLI, F. C.; NARDI, R. Interações discursivas e o uso de analogias no ensino de Física. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 17, n. 1, pp. 81-107. 2012.

CHEVALLARD, Y. La transposición didáctica. Del saber sabio al saber enseñado. 3. ed. Aique Grupo Editor. Buenos Aires: Argentina. 2005.

CURTIS, R. V.; REIGELUTH, C. M. The use of analogies in written text. Instructional Science, Amsterdam: Elsevier Science Publishers, v. 13, pp. 99-117. 1984. https://doi.org/10.1007/BF00052380

DUARTE, M.C. Analogias na Educação em Ciências Contributos e Desafios. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 10, n. 1, pp. 7-29. 2005.

DUIT, R. On The Role of Analogies and Metaphors in Learning Science. Science Education, New Jersey, v. 75, n. 6, pp. 649-672. 1991. https://doi.org/10.1002/sce.3730750606

FABIÃO, L. S.; DUARTE, M. C. Dificuldades de produção e exploração de analogias: um estudo no tema equilíbrio químico com alunos/futuros professores de ciências. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, Vigo, v. 4, n. 1. pp. 1-17. 2005.

FARIAS, M. E.; BANDEIRA, K. S. O uso das analogias no ensino de ciências e de biologia. Ensino, Saúde e Ambiente, Niterói, v. 2, n. 3, pp. 60-71. 2009. https://doi.org/10.22409/resa2009.v2i3.a21051

FERRAZ, D. F. O uso de analogias como recurso didático por professores e biologia no ensino médio. Edunioeste. Cascavel: Brasil. 2006.

FERRAZ, D. F; TERRAZZAN, E. A. O uso espontâneo de analogias por professores de biologia: observações da prática pedagógica. Ensaio- Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 4, n. 2, pp. 1-15, dez. 2002. https://doi.org/10.1590/1983-21172002040203

FREITAS, L. P. S. R. de. O uso de analogias no ensino da química; uma análise das concepções de licenciandos do curso de química da UFRPE. 197 p. Mestrado em Ensino das Ciências, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2011.

GONZÁLEZ GONZÁLEZ, B. M. Las analogías en el proceso enseñanza - aprendizaje de las ciencias de la naturaleza. 650 p. Doutorado em Didática das Ciências Experimentais, Universidad de La Laguna, La Laguna, 2002.

GLYNN, S. M. Teaching science with analogies: a resource for teachers and texbooks authors. National Reading Research Center. Washington. 1994. pp. 9-34.

GLYNN, S. M. The Teaching with analogies model. In: Childrens comprehension of text. International Reading Association. Newark. 1989. pp. 185-204.

HOFFMANN, M. B. Analogias e metáforas no ensino de biologia: um panorama da produção acadêmica brasileira. 190 p. Mestrado em Educação Científica e Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

KALAMAR, L.; MACHADO, C. J. Levantamento e classificação das analogias presentes em livros didáticos de Biologia do ensino médio, com enfoque no tema genética. Ensino, Saúde e Ambiente, Niterói, v. 7, n. 3, pp. 30-49. 2014. https://doi.org/10.22409/resa2014.v7i3.a21193

LARA, M. S.; GÓIS, J. Concepções de analogias no ensino de Ciências. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA, 16, Salvador. Anais... ENEQ. 2012.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2. ed. EPU. São Paulo: Brasil. 2013.

MEKSENAS, P. As noções de concreto e abstrato: sua relação com as práticas de ensino. Revista da Faculdade de Educação, São Paulo, v. 18, n. 1, pp. 92-98. 1992.

MONTEIRO, I. G.; JUSTI, R. Analogias em livros didáticos de química brasileiros destinados ao ensino médio. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 5, n. 2, pp. 48-79. 2000.

MOZZER, N. B.; JUSTI, R. A elaboração de analogias como um processo que favorece a expressão de concepções de professores de Química. Educación Química, Cidade do México, n. 24, pp. 163-173. 2013. https://doi.org/10.1016/S0187-893X(13)72510-2

MOZZER, N. B.; JUSTI, R. "Nem tudo que reluz é ouro": Uma discussão sobre analogias e outras similaridades e recursos utilizados no ensino de Ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 15, n. 1, pp. 123-147. 2015.

MOZZER, N. B.; JUSTI, R. Modelagem analógica no ensino de Ciências. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 23, n. 1, pp. 155-182. 2018. https://doi.org/10.22600/1518-8795.ienci2018v23n1p155

OLIVA, J. M. Qué conocimientos profesionales deberíamos tener los profesores de Ciencias sobre el uso de analogías. Rev. Eureka Enseñanza Divulgación Ciencias, Cádiz, v. 5, n. 1, pp. 15- 28. 2008. https://doi.org/10.25267/Rev_Eureka_ensen_divulg_cienc.2008.v5.i1.03

OLIVEIRA, T. M. A.; MOZZER, N. B. Análise dos conhecimentos declarativo e procedimental de futuros professores de química sobre analogias. Ensaio- Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 19, pp. 1-24. 2017. https://doi.org/10.1590/1983-21172017190102

RIGOLON, R. G. O conceito e o uso de analogias como recurso didático por licenciandos de Biologia. 132 p. Mestrado em Educação para a Ciência e o Ensino da Matemática, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2008.

RIGOLON, R. G. As analogias quantitativas e a nova classificação pela natureza da relação analógica. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 9, Águas de Lindoia. Anais... ABRAPEC, 2013.

RIGOLON, R. G. Analogias quantitativas como estratégia didática na formação inicial de professores de Biologia e Física. 365 p. Doutorado em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, Bauru, 2016.

RIGOLON, R. G.; OBARA, A. T. Distinção entre analogia e metáfora para aplicação do modelo Teaching with analogies por licenciandos de Biologia. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, Vigo, v. 10, n. 3, pp. 481-498. 2011.

SANTOS, F. A.; SANTANA, I. C. H. Investigando as pesquisas sobre analogias: o que mostram os anais dos encontros de ensino de ciências? Educação, Santa Maria, v. 43, n. 4, pp. 757-772, out/dez. 2018. https://doi.org/10.5902/1984644432444

SANTOS, S. C. S.; TÉRAN, A. F.; SILVA-FORSBERG, M. C. Analogias em livros didáticos de biologia no ensino de zoologia. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 15, n. 3, pp. 591-603. 2010.

SÁ, R. G. B., et al. Conceitos abstratos: um estudo no ensino da Biologia. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE BIOLOGIA, 3, São Paulo. Anais... ENEBIO, 2010.

SOUZA, S. E. O uso de recursos didaticos no ensino escolar. In: I ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO, IV JORNADA DE PRÁTICA DE ENSINO, XIII SEMANA DE PEDAGOGIA DA UEM: "Infância e Práticas Educativas". Arq Mudi. 2007.

SOUZA, V. C. A.; JUSTI, R.; FERREIRA, P. F. M. Analogias utilizadas no ensino dos modelos atômicos de Thomson e Bohr: uma análise crítica sobre o que os alunos pensam a partir delas. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 11, n. 1, pp. 7-28. 2006.

THIELE, R.; TREAGUST, D. Analogies in chemistry textbooks. Internacional Journal of Science Education, London, v. 17, n. 6, pp. 783-795. 1995. https://doi.org/10.1080/0950069950170609

TREAGUST, D. F.; HARRISON, A. G.; VENVILLE, G. J. Teaching Science Effectively With analogies: An Approach for Preservice and in Service Teacher Education. Journal of Science Teacher Education, London, v. 9, n. 2, pp. 85-101. 1998. https://doi.org/10.1023/A:1009423030880

Cómo citar
Almeida, H. A. de. (2019). Las concepciones sobre analogías en el discurso de estudiantes de licenciatura en ciencias biológicas. Góndola, enseñanza Y Aprendizaje De Las Ciencias, 15(1), 101-117. https://doi.org/10.14483/23464712.14401
Publicado: 2019-12-26
Sección
ARTÍCULOS