Análisis del conocimiento sobre estrategias de enseñanza de futuros profesores de química: vivencia como alumno y reflexión como profesor

Palabras clave: formación docente, técnica docente, docente estudiante, educación superior

Resumen

En el presente trabajo el objetivo fue analizar, a partir de una metodología pautada en la vivencia y en el proceso reflexivo en la formación inicial de profesores de química, el desarrollo de los conocimientos profesionales desde la perspectiva del conocimiento pedagógico del contenido (PCK). A partir de una práctica formativa, con foco en la vivencia de una estrategia de enseñanza por futuros profesores, procuramos investigar el desarrollo de conocimientos acerca de la estrategia de enseñanza jurado simulado, buscando una situación de enseñanza/formación en la cual los licenciados participan y reflexionan sobre la propuesta. Los datos fueron recolectados a partir de un instrumento denominado SCoRe, desarrollado con base en otros utilizados en investigaciones sobre el reconocimiento de saberes profesionales a través de entrevistas semiestructuradas. Los datos fueron analizados por medio del análisis textual discursivo (ATD) y por la correlación de las categorías emergentes de esta con los modelos de PCK reportados en la literatura. A través de las descripciones y representaciones elaboradas por los futuros profesores, se observó la movilización de categorías de conocimiento no solo vinculadas a la estrategia propuesta, sino también relacionados a los límites y posibilidades frente al contexto de aula. Fue posible asociar las reflexiones producidas y las categorías emergentes de la ATD con algunas de aquellas destacadas en el modelo de PCK, relacionando la actividad desarrollada con la práctica profesional.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Gildo Girotto Júnior, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) – Campinas, SP (Brasil).

Licenciado em Química pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – UNESP Araraquara. Mestre e Doutor em Ensino de Ciências modalidade Química pela Universidade de São Paulo – USP. Atualmente é professor da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) – Campinas, SP (Brasil). 

Marcela Aparecida de Paula, Universidade Federal de Lavras (UFLA) – Lavras, MG (Brasil).
Licenciada em Química pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) – Lavras, MG (Brasil).
Deborah Rean Carreiro Matazo, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) – Campinas, SP (Brasil).
Licenciada em Química pela Universidade de São Paulo – USP. Mestre em Ciências com ênfase em Química pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é doutoranda em Ensino de Química pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) – Campinas, SP (Brasil).

Referencias

Bogdan, R.; Biklen, S. Características da investigação qualitativa. In: Investigação qualitativa em educação: uma introdução á teoria e aos métodos. Porto Editora. Porto: Portugal, 1994. pp. 47-51.

BRASIL. Casa Civil da Presidência da República. Decreto No. 7.219, de 24 de junho de 2010. Dispõe sobre o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência – PIBID e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília: Brasil, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução No. 2, de 1º de julho de 2015. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília: Brasil, 2015 pp. 1-16. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/escola-de-gestores-da-educacao-basica/323- secretarias-112877938/orgaos-vinculados-82187207/21028-resolucoes-do-conselho-pleno-2015.> Acesso em: 07 out. 2016.

BRITO, J.Q.A.; SÁ, L.P. Estratégias promotoras da argumentação sobre questões sócio-científicas com alunos do ensino médio. Revista Electrónica de Ense-anza de las Ciencia, Vigo: Espa-a, v. 9, n. 3, pp. 505-529, 2010. Disponível em: <http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen9/ART2_Vol9_N3.pdf >. Acesso em: 15 abr. 2017.

Carrascosa, J. Análise da formação inicial e permanente de professores de ciências Ibero-Americanos. In: Menezes, L. C. (Org). Formação continuada de professores de ciências no contexto ibero-americano. Autores Associados. Campinas: Brasil, 1996. pp.7-44.

Contreras, J. A autonomia de professores. Cortez Editora. São Paulo: Brasil, 2002. p. 328.

Elbaz, F. Teacher Thinking: A study of practical knowledge. CroomHelm. London: England, 1983. p. 239.

FERNANDEZ, C. Revisitando a base de conhecimentos e o Conhecimento Pedagógico do Conteúdo (PCK) de professores de Ciências. Revista Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências (Online), Belo Horizonte, v. 17, n. 2, pp. 500-528. 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/epec/v17n2/1983-2117-epec-17-02-00500.pdf>. Acesso em: 14 abr. 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-21172015170211

Gatti, B. Didática e formação de professores: provocações. Cadernos de Pesquisa, São Paulo: Brasil, v. 47, n. 166, pp. 1150-1164. 2017.

Gomes, T.G.; Barboza, L.C. Uma proposta de Júri Simulado como estratégia lúdica para o ensino de História da Química no ensino médio: A teoria do Flogístico. In: ENCONTRO PAULISTA EM ENSINO DE QUÍMICA (VII EPPEQ). Santo André. Universidade Federal do ABC. Anais do VII EPPEQ, 2013 pp. 1- 6.

Imbernón, F. Formação docente e profissional. Formar-se para a mudança e a incerteza. 9° edição. Cortez Editora. São Paulo: Brasil, 2006. p. 127.

Lima, F.A.A. et al. Júri Simulado On Line como Atividade de Interação Dialógica em Cursos de Graduação a Distância: uma proposta de diretrizes de correção. In.: XII CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA (XII ESUD). Salvador. Associação Universidade em Rede (UNIREDE). Anais do ESUD. 2015 pp. 1 - 13.

LIMA, J.G.S.A.; COSTA, J.S.G.; PERNAMBUCO, M.M.C.A. Ensino Médio e Interdisciplinaridade: reflexões sobre o Ensino de Sociologia. Revista Holos, Natal: Brasil, v. 2, pp. 174-183, 2012. DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2012.868

López, J.M.R. Evaluación del prácticum en la formación de maestros. In: MARCELO, C.G. (org.). Evaluación del desarrollo profesional docente. Editorial DaVinci. Barcelona: Espa-a, 2011. pp. 234-245.

LOUGHRAN, J.; MULHALL, P.; BERRY, A. In search of Pedagogical Content Knowledge in Science: Developing Ways of Articulating and Documenting Professional Practice. Journal of Research in Science Teaching, Renton: USA, v. 41, n. 4, pp. 370-391, 2006. DOI:

https://doi.org/10.1002/tea.20007

MARCELO, C.G. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, Belo Horizonte, v. 3, n. 3, pp. 11-49, 2010.

MENDONÇA, P.C.C.; JUSTI, R.S. Proposição de instrumento para avaliação de habilidades argumentativas - parte I: fundamentos teóricos. In: VII ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (VII Enpec). Florianópolis. Associação Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências – ABRAPEC. Anais do VII Enpec. 2009.

Mizukami, M.G.N. Escola e desenvolvimento profissional da docência. In: Gatti, B.A.; Silva Júnior, A.C.; Pagotto, M.D.S.; Nicoletti, M.G. (eds.). Por uma política nacional de formação de professores. Editora Unesp. São Paulo. 2013. pp. 23-54.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. do C. Análise textual discursiva. Unijuí. Ijuí: Brasil, 2007. p. 224.

Morine-Dershimer, G.; Kent, T. The complex nature and sources of teachers' pedagogical knowledge. In: J. Gess-Newsome; N. G. Lederman (Eds.) Examining pedagogical content knowledge: the construct and its implications for science teaching. Kluwer Academic Publishers. Dordrecht: The Netherlands, 1999. pp. 21-50.

Pimenta, S.G.; Lima, M.S.L. Estágio e docência. Editora Cortez. São Paulo: Brasil, 2004. p. 281.

Rissi, L. et al. Aprendizagens da docência no contexto do PIBID Química: contribuições da escrita reflexiva. In: X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (X ENPEC). Águas de Lindóia. Anais do X ENPEC 2015. pp. 1-8.

Saviani, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro: Brasil, v. 14, n. 40, pp. 143-155, 2009.

Schön, D. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Org). Os professores e sua formação. Dom Quixote. Lisboa: Portugal, 1992. pp. 77-91.

SHULMAN, L. Knowledge and teaching: Foundations of the new reform. Harvard Educational Review, Cambridge, v. 57, n. 1, pp. 1–22, 1987. DOI:

https://doi.org/10.17763/haer.57.1.j463w79r56455411

Tardif, M. Saberes docentes e formação profissional. Editora Vozes. Petrópolis: Brasil, 2012. p. 325.

Thiollent, M. Metodologia da pesquisa-ação. 18a edição. Editora Cortez. São Paulo: Brasil, 2008. p.132.

Toulmin, S.E. Os usos do argumento. 2a edição. Martins Fontes. São Paulo: Brasil, 2006 pp. 134-182

Cómo citar
Girotto Júnior, G., de Paula, M., & Matazo, D. (2018). Análisis del conocimiento sobre estrategias de enseñanza de futuros profesores de química: vivencia como alumno y reflexión como profesor. Góndola, Enseñanza Y Aprendizaje De Las Ciencias, 14(1). https://doi.org/10.14483/23464712.13123