DOI:

https://doi.org/10.14483/23464712.17132

Publicado:

2022-06-15

Número:

Vol. 17 Núm. 2 (2022): v17, n2, 2022

Sección:

ARTÍCULOS

La autobiografía ambiental como posibilidad de conocimiento del “yo” en/con la naturaleza

Environmental autobiography as the possibility of knowledge of the “myself” in/with nature

A autobiografia ambiental como possibilidade de conhecimento do “eu” na/com a natureza

Autores/as

  • Ivone dos Santos Siqueira Universidade Federal do Pará
  • Nívia Magalhães da Silva Freitas
  • Nadia Magalhães da Silva Freitas

Palabras clave:

Relação ser humano e natureza, Autobiografia ambiental, Conhecimento do “eu” na/com a natureza. (pt).

Palabras clave:

Relationship between human and nature, Environmental autobiography, Knowledge of myself in/with nature. (en).

Palabras clave:

Relación entre el ser humano y la naturaliza, Autobiografía ambiental, Conocimiento del "yo" en/con la naturaleza (es).

Resumen (es)

Para reflexionar sobre los aspectos que inciden en la relación entre el ser humano y la naturaleza, propusimos a un grupo de estudiantes de la Licenciatura Integrada en Ciencias, Matemática y Lenguaje, de la Universidad Federal do Pará, rescatar sus recuerdos, registrándolos en una autobiografía ambiental llamada; el “yo” en/con la naturaleza. La investigación se basó en la modalidad narrativa. Los textos autobiográficos fueron sometidos a un análisis textual discursivo. En él, los recuerdos-referencias presentaban ecos bucólicos, se asumió el entorno como un “objeto” de afecto; de allí, la relación entre el ser humano y la naturaleza requirió una consideración crítica revelando vínculos entro los sujetos y la naturaleza. Además, el ejercicio de memoria se centró en el tema ambiental sobre la experiencia de cada persona. Este trabajo de investigación-formación, nos mostró que los estudios y la problematización de los temas ambientales pueden tratarse a partir de los lugares de la vida cotidiana. Concluimos que la autobiografía ambiental ha sido un recurso privilegiado para el desarrollo del autoconocimiento en relación con el medio ambiente.

Resumen (en)

To reflect on aspects affecting the relationship between humans and nature, we proposed to a group of pre-service teachers from the Integrated Science, Mathematics and Language program at Federal University of Pará, to rescue their memories recording in an autobiography environmental call the “Myself” in/with nature. The research takes the narrative modality. The autobiographical texts were analyzed through discursive textual analysis. In it, the memories-references presented bucolic echoes, and the environment was assumed as an "object" of affection; hence, the relationship between human beings and nature required critical consideration, revealing links between subjects and nature. In addition, the memory exercise focused on the environmental theme of each person's experience. This research-training work showed us that the studies and problematization of environmental issues can be treated from places of daily life. We conclude that environmental autobiography has been a privileged resource for the development of self-knowledge concerning the environment.

Resumen (pt)

Para pensar e problematizar os aspectos que incidem sobre a relação seres humanos e natureza, propusemos aos licenciandos do Curso de Licenciatura Integrada em Ciências, Matemática e Linguagens, da Universidade Federal do Pará, o resgate de suas memórias, registrando-as em uma autobiografia ambiental – o “eu” na/com a natureza. A pesquisa apoiou-se na modalidade narrativa e os textos autobiográficos foram submetidos a análise textual discursiva. Nele, as recordações-referências apresentaram ecos bucólicos, o ambiente foi assumido como “objeto” de afeto; ao mesmo tempo em que, a relação seres humanos e natureza mereceu consideração crítica e, ainda, revelando vínculos entre os sujeitos e a natureza. Além do mais, o exercício memorialístico particularizou o tema ambiente na experiência de cada um. A experiência de pesquisa-formação, mostrou-nos que os estudos e a problematização das  questões ambientais, podem incidir, também, sobre os lugares da vida cotidiana. Entendemos que a autobiografia ambiental, constituiu-se recurso privilegiado para o empreendimento do conhecimento de si na relação com o ambiente. 

Referencias

ARAGÃO, Maria Rosália. Memórias de formação e docência: bases para pesquisa narrativa e biográfica. In: CHAVES, Sylvia Nogueira; BRITO, Maria dos Remédios (Org.). Formação e docência: perspectivas da pesquisa narrativa e autobiográfica. Belém: CEJUP, 2011. p. 13-35.

BARBOSA, Leila Cristina Aoyama; MARQUES, Carlos Alberto. A. Sustentabilidade ambiental e postulados termodinâmicos à luz da obra de Nicholas Georgescu-Roegen. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, Santa Maria, v. 19, n. 2, p. 1124-1132, 2015. Disponível em: <https://periodicos.ufsm.br/reget/article/viewFile/16919/pdf>. Acesso em: 1 de jun. 2020.

BAZZO, Walter Antonio. De técnico e de humano: questões contemporâneas. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2015.

CALLIGARIS, Contardo. Verdades de autobiografias e diários íntimos. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 11, n. 21, p. 43-58, 1998. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2071/1210>. Acesso em: 31 jul. 2020.

CARVALHO, Adriano Vieira de. Os saberes docentes nas visões de Paulo Freire e Maurice Tardif: uma contribuição. Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciências, Colombia, v. 8, n. 2, p. 34-43 2014. Disponível em: https://revistas.udistrital.edu.co/index.php/GDLA/article/view/5761/10442. Acesso em: 20 mai. 2021.

https://doi.org/10.14483/jour.gdla.2014.2.a03

CAVALCANTI, Clóvis. Concepções da economia ecológica: suas relações com a economia dominante e a economia ambiental. Estudos Avançados, São Paulo, v. 24, n. 68, p. 53-67, 2010. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/ea/v24n68/07.pdf> Acesso em: 24 jun. 2020.

https://doi.org/10.1590/S0103-40142010000100007

CLANDININ, D. Jean.; CONNELLY, F. Michael. Pesquisa narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa. Uberlândia: EDUFU, 2011.

CONNELLY, F. Michael; CLANDININ, D. Jean. Relatos de experiência e investigação narrativa. In: LARROSA, Jorge. Déjame que te cuente - ensayos sobre narrativa y educación. Barcelona; Laertes, S. A. Ediciones, 1995. p. 11-59.

CORRÊA, Diogo Arnaldo; BASSANI. Marlise Aparecida. Cuidado ambiental e responsabilidade: possível diálogo entre psicologia ambiental e logoterapia. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 20, n. 4, p. 639-649, 2015. Disponível em: < http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/PsicolEstud/article/view/28453/pdf>. Acesso em: Acesso em: 26 jun. 2020.

https://doi.org/10.4025/psicolestud.v20i4.28453

DEMO, Pedro. Pobreza política. Campinas: Autores Associados, 1996.

ELALI, Gleice Azambuja; PINHEIRO, José Queiroz. Autobiografia ambiental: buscando afetos e cognições da experiência com ambientes. In: PINHEIRO, José Queiroz; GÜNTHER, Hartmut. Métodos de pesquisa nos estudos pessoa-ambiente. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008. p. 217-251.

FLORIANI, Dimas. Educação ambiental e epistemologia: conhecimento e prática de fronteira ou uma disciplina a mais? Pesquisa em Educação Ambiental, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 191-202, 2009. Disponível em: <http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/pesquisa/article/view/6200>. Acesso em: 30 set. 2020.

https://doi.org/10.18675/2177-580X.vol4.n2.p191-202

FLORIANI, Dimas. Marcos conceituais para o desenvolvimento da interdisciplinaridade. In: PHILIPPI JÚNIOR, Arlindo; TUCCI, Carlos Eduardo Morelli; HOGAN, Daniel Joseph; NAVEGANTES, Raul (Org.) Interdisciplinaridade em ciências ambientais. São Paulo: Signus Editora, 2000. p. 95-107.

FREITAS, Nadia Magalhães da Silva; MARQUES, Carlos Alberto. Sustentabilidade e CTS: o necessário diálogo na/para a Educação em Ciência em tempos de crise ambiental. Educar em Revista, Curitiba, v. 35, n. 77, p. 265-282, 2019. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/er/v35n77/1984-0411-er-35-77-0265.pdf>. Acesso em: 25 jul. 2020.

https://doi.org/10.1590/0104-4060.61568

FREITAS, Nívia Magalhães da Silva. Ensino de ciências e práticas teatrais: formação de professores para os anos escolares iniciais. 2017. 210 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências). Universidade Federal do Pará, Belém, Pará, 2017.

FREITAS, Vera Lúcia Chalegre de; ABRAHÃO, Maria Helena Menna Barreto. Experiência e construção de si: contribuições da pesquisa (auto)biográfica para a formação de professores. Cadernos de Educação, Pelotas, n. 57, p. 45-58, 2017. Disponível em: <https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/article/view/12821/8052>. Acesso em: 2 jul. 2020.

GONÇALVES, Terezinha Valim Oliver. A pesquisa narrativa e a formação de professores: reflexões sobre uma prática formadora. In: CHAVES, Sylvia Nogueira; BRITO, Maria dos Remédios (Org.) Formação e docência: perspectivas da pesquisa narrativa e autobiográfica. Belém: CEJUP, 2011. p. 53-76.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. 2ª ed. Natal: EDUFRN, 2010.

LAND, Ana Mendes. La autobiografía ambiental: un ejercicio de reflexión sobre el medioambiente en su totalidad, los problemas conexos y la presencia y papel de uno mismo y de la humanidad en él. Planificación, desarrollo y análisis de una experiencia práctica de Educación Ambiental. Revista de Didáctica Ambiental, España, n. 8, p. 22-52, 2009. Disponível em: <http://www.didacticaambiental.com/revista/numero8/3-Autobiografia%20ambiental.pdf>. Acesso em:15 jun. 2020.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. O cinismo da reciclagem: o significado ideológico da reciclagem da lata de alumínio e suas implicações para a educação ambiental. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYRARGUES, Philippe Pomier; CASTRO, Ronaldo Souza (Orgs.). Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 2011. p. 185-226.

LEFF, Enrique. A aposta pela vida: imaginação sociológica e imaginários sociais nos territórios ambientais do Sul. Petrópolis: Vozes, 2016.

LEFF, Enrique. Epistemologia Ambiental. São Paulo: Cortez, 2001.

LEFF, Enrique. Pensar a complexidade ambiental. In: LEFF, Enrique (Coord.). A complexidade ambiental. Tradução de Eliete Wolff. São Paulo: Cortez, 2010. p. 15-64.

LEFF, Enrique. Saber Ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. 6 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

LISPECTOR, Clarice. A descoberta do mundo. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Educação ambiental e epistemologia crítica. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande/RS, v. 32, n. 2, p. 159-176, Disponível em: <https://periodicos.furg.br/remea/article/view/5536/3443>. Acesso em: 14 set. 2020.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Teoria social e questão ambiental: pressupostos para uma práxis crítica em educação ambiental. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYRARGUES, Philippe Pomier; CASTRO, Ronaldo Souza (Orgs.). Sociedade e meio ambiente: a educação ambiental em debate. São Paulo: Cortez, 2012. p. 17- 54.

MARQUES, Luiz. Capitalismo e colapso ambiental. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2015.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Trabalho de campo: contexto de observação, interação e descoberta. In: MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.); DELANDES, Suely Ferreira; GOMES, Romeu. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2016. p. 56-71. (Série Manuais Acadêmicos).

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise Textual Discursiva. Ijuí: Editora UNIJUÍ, 2007.

OLIVEIRA, André Luis de; OBARA, Ana Tiyomi; RODRIGUES, Maria Aparecida. Educação ambiental: concepções e práticas de professores de ciências do ensino fundamental. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, España, v. 6, n. 3, p. 471-495, 2007. Disponível em: <http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen6/ART1_Vol6_N3.pdf>. Acesso em: 05 jul. 2020.

PRADO, Guilherme do Val Toledo; SOLIGO, Rosaura. Memorial de formação: quando as memórias narram a história da formação. In: PRADO, Guilherme do Val Toledo; SOLIGO, Rosaura (Org.). Porque escrever é fazer história: revelações, subversões e superações. São Paulo: Gráfica da Faculdade Educação da Unicamp, 2005. p. 47-62.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. Os (Des)caminhos do Meio Ambiente. 15 ed. São Paulo: Contexto, 2018.

RAMOS, Tamires de Souza; FREITAS, Nívia Magalhaes da; RAPOSO, Elinete Oliveira; FREITAS, Nadia Magalhães da Silva. Constructos em narrativas do ser e do se fazer docente. Amazônia. Revista de Educação em Ciências e Matemáticas, Belém, v. 13, n. 25, p. 46-61, 2016. Disponível em: <https://periodicos.ufpa.br/index.php/revistaamazonia/article/view/3268/4041>. Acesso em: 2 de jun. 2020.

https://doi.org/10.18542/amazrecm.v13i25.3268

RIBEIRO, Job Antonio Garcia; CAVASSAN, Osmar. Os conceitos de ambiente, meio ambiente e natureza no contexto da temática ambiental: definindo significados. Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciências, Colombia, v. 8, n. 2, p. 61-76 2013. Disponível em: < https://revistas.udistrital.edu.co/index.php/GDLA/article/view/5149/6768>. Acesso em: 19 mai. 2021.

SANTOS, Maria Eduarda Vaz. Desafios pedagógicos para o século XXI: suas raízes em força de mudanças de natureza científica, tecnológica e social. Livros Horizonte: Lisboa, 1999.

SAVELI, Esméria de Lourdes. Narrativas autobiográficas de professores: um caminho para a compreensão do processo de formação. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 1, n. 1, p. 94-105, 2006. Disponível em: <https://revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/354/362>. Acesso em:15 de jul. 2020.

SEN, Amartya Kumar. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SILVA, Aline Pacheco; BARROS, Carolyne Reis; NOGUEIRA, Maria Luisa Magalhães; BARROS, Vanessa Andrade. "Conte-me sua história": reflexões sobre o método de história de vida. Mosaico: Estudos em Psicologia, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 25-35, 2007. Disponível em: <https://periodicos.ufmg.br/index.php/mosaico/article/view/6224/3816>. Acesso em: 9 jun. 2020.

SOUSA, Maria Goreti da Silva; CABRAL, Carmem Lúcia de Oliveira. A narrativa como opção metodológica de pesquisa e formação de professores. Horizontes, São Paulo, v. 33, n. 2, p. 149-158, 2015. Disponível em: <https://revistahorizontes.usf.edu.br/horizontes/article/view/149/102>. Acesso em: 5 de jun. 2020.

https://doi.org/10.24933/horizontes.v33i2.149

SOUZA, Elizeu Clementino. Memória, (auto)biografia e formação. In: CHAVES, Sylvia Nogueira; BRITO, Maria dos Remédios (Org.) Formação e docência: perspectivas da pesquisa narrativa e autobiográfica. Belém: CEJUP, 2011. p. 37-51.

VENANCIO, Beatriz Pinto; ALVARENGA, Maria Carmen Vilas-Bôas Hacker. Oficinas de memória teoria e prática. Niterói, RJ: Editora da UFF, 2010.

WEFFORT, Madalena Freire. Observação, registro, reflexão: instrumentos metodológicos I. 2. ed. São Paulo: Espaço Pedagógico, 1996.

Cómo citar

APA

Siqueira, I. dos S. ., da Silva Freitas, N. M., & da Silva Freitas, N. M. (2022). La autobiografía ambiental como posibilidad de conocimiento del “yo” en/con la naturaleza. Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias, 17(2). https://doi.org/10.14483/23464712.17132

ACM

[1]
Siqueira, I. dos S. , da Silva Freitas, N.M. y da Silva Freitas, N.M. 2022. La autobiografía ambiental como posibilidad de conocimiento del “yo” en/con la naturaleza. Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias. 17, 2 (jun. 2022). DOI:https://doi.org/10.14483/23464712.17132.

ACS

(1)
Siqueira, I. dos S. .; da Silva Freitas, N. M.; da Silva Freitas, N. M. La autobiografía ambiental como posibilidad de conocimiento del “yo” en/con la naturaleza. Góndola enseñ. aprendiz. cienc. 2022, 17.

ABNT

SIQUEIRA, I. dos S. .; DA SILVA FREITAS, N. M.; DA SILVA FREITAS, N. M. La autobiografía ambiental como posibilidad de conocimiento del “yo” en/con la naturaleza. Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias, [S. l.], v. 17, n. 2, 2022. DOI: 10.14483/23464712.17132. Disponível em: https://revistas.udistrital.edu.co/index.php/GDLA/article/view/17132. Acesso em: 25 jun. 2022.

Chicago

Siqueira, Ivone dos Santos, Nívia Magalhães da Silva Freitas, y Nadia Magalhães da Silva Freitas. 2022. «La autobiografía ambiental como posibilidad de conocimiento del “yo” en/con la naturaleza». Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias 17 (2). https://doi.org/10.14483/23464712.17132.

Harvard

Siqueira, I. dos S. ., da Silva Freitas, N. M. y da Silva Freitas, N. M. (2022) «La autobiografía ambiental como posibilidad de conocimiento del “yo” en/con la naturaleza», Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias, 17(2). doi: 10.14483/23464712.17132.

IEEE

[1]
I. dos S. . Siqueira, N. M. da Silva Freitas, y N. M. da Silva Freitas, «La autobiografía ambiental como posibilidad de conocimiento del “yo” en/con la naturaleza», Góndola enseñ. aprendiz. cienc., vol. 17, n.º 2, jun. 2022.

MLA

Siqueira, I. dos S. ., N. M. da Silva Freitas, y N. M. da Silva Freitas. «La autobiografía ambiental como posibilidad de conocimiento del “yo” en/con la naturaleza». Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias, vol. 17, n.º 2, junio de 2022, doi:10.14483/23464712.17132.

Turabian

Siqueira, Ivone dos Santos, Nívia Magalhães da Silva Freitas, y Nadia Magalhães da Silva Freitas. «La autobiografía ambiental como posibilidad de conocimiento del “yo” en/con la naturaleza». Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias 17, no. 2 (junio 15, 2022). Accedido junio 25, 2022. https://revistas.udistrital.edu.co/index.php/GDLA/article/view/17132.

Vancouver

1.
Siqueira I dos S, da Silva Freitas NM, da Silva Freitas NM. La autobiografía ambiental como posibilidad de conocimiento del “yo” en/con la naturaleza. Góndola enseñ. aprendiz. cienc. [Internet]. 15 de junio de 2022 [citado 25 de junio de 2022];17(2). Disponible en: https://revistas.udistrital.edu.co/index.php/GDLA/article/view/17132

Descargar cita

Visitas

11

Dimensions


PlumX


Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.