A ciência enquanto um tema sociocientífico na formação inicial de professores de ciências biológicas

Ciencia como tema sociocientífico en la formación inicial de profesores de ciencias biológicas

Science as a socio-citizen theme in the initial training of teachers of biological sciences

  • Bruna Ambros Baccin Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Brasil
  • Raiane da Rosa Dutra Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Brasil https://orcid.org/0000-0002-8692-8664
  • Renato Xavier Coutinho Instituto Federal Farroupilha (IFFar), Campus São Vicente do Sul, Brasil https://orcid.org/0000-0001-6602-2120
Palabras clave: initial training, science, scientific education (en_US)
Palabras clave: formación inicial, ciencia, educación científica (es_ES)
Palabras clave: formação inicial, ciência, educação científica (pt_BR)

Resumen (pt_BR)

Este artigo propõe uma discussão acerca da Ciência e seus aspectos epistemológicos, no contexto da formação inicial de professores de Ciências Biológicas, a partir da realização de um processo formativo. A abordagem metodológica foi de cunho qualitativo, caracterizando-se como pesquisa-ação. Além do processo formativo realizou-se a análise do Projeto Pedagógico de Curso e entrevistas. Entre os resultados obtidos, destaca-se que a temática Ciência está contemplada na ementa e bibliografia deste documento, assegurando que a mesma deveria ser trabalhada durante o curso, mas as respostas e o discurso dos Licenciandos mostram o contrário. Nesse sentido, considera-se a formação inicial de professores de Ciências, como espaço ideal para a discussão e aprendizagem sobre a Ciência e seus aspectos epistemológicos, na perspectiva de que estes futuros professores propaguem esse aprendizado aos seus alunos.

Resumen (es_ES)

Este artículo propone un debate sobre la ciencia y sus aspectos epistemológicos, en el contexto de la formación inicial de los docentes de ciencias biológicas, desde la realización de un proceso formativo. El enfoque metodológico utilizado fue de carácter cualitativo, caracterizado por la investigación de la acción. Además del proceso formativo, también se llevó a cabo el análisis del proyecto pedagógico del curso y las entrevistas. Entre los resultados obtenidos, cabe destacar que este tema está en el syllabus y en la bibliografía de este documento, asegurando que debe ser trabajado durante el curso, pero las respuestas y el discurso de los licenciandos muestran lo opuesto. En este sentido, la formación inicial de los profesores de ciencias se considera un espacio ideal para la discusión y el aprendizaje de la ciencia y sus aspectos epistemológicos, en la perspectiva de que estos futuros maestros propagan este aprendizaje a sus estudiantes.

Resumen (en_US)

This article proposes a discussion about Science and its epistemological aspects, in the context of the initial formation of teachers of Biological Sciences, from the realization of a formative process. The methodological approach used was of a qualitative nature, characterized by action research. In Addition to the formative process, the analysis of the Pedagogical Project of Course and interviews was also carried out. Among the results obtained, it is noteworthy that this theme is contemed in the menu and in the bibliography of this document, ensuring that it should be worked during the course, but the answers and the discourse of the Licensees show the opposite. In This sense, the initial formation of science teachers is considered as an ideal space for discussion and learning about science and its epistemological aspects, in the perspective that these future teachers propagate this learning to their Students.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Bruna Ambros Baccin, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Brasil

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Brasil. Bolsista CNPq/CAPES. 

Raiane da Rosa Dutra, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Brasil

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Brasil.

Renato Xavier Coutinho, Instituto Federal Farroupilha (IFFar), Campus São Vicente do Sul, Brasil

Doutor em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Brasil. Professor orientador deste programa na mesma instituição e professor do Instituto Federal Farroupilha (IFFar), Campus São Vicente do Sul, Brasil.

Referencias

ALVES, R. O senso comum e a Ciência (I). Em: Filosofia da Ciência: introdução ao jogo e suas regras. Edições Loyola. São Paulo: Brasil. 2000. pp. 7-16.

ANDRÉ, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. Editora Papirus. São Paulo: Brasil. 1995.

AZEVEDO, M. N.; ABIB, M. L. V. S. Pesquisa-ação e a elaboração de saberes docentes em ciências. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 18, n. 1, pp. 55-75. 2013.

BACHELARD, G. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Traduzido por: ABREU, E. dos S. Editora Contraponto. Rio de Janeiro: Brasil. 1996.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Editora Edições 70. São Paulo: Brasil. 2011.

BONZANINI, T. K.; BASTOS, F. Formação continuada de professores de Ciências: algumas reflexões. Anais do VII Enpec, Florianópolis, 2009.

BRAGA, C. M. D. S. O Uso de Modelos no Ensino da Divisão Celular na Perspectiva da Aprendizagem Significativa. 173 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Universidade de Brasília. Brasília: Brasil. 2010. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/handle/10482/9069>. Visitou em: 01, abr., 2019.

CACHAPUZ, A.; PRAIA, J.; JORGE, M. Da educação em ciência à orientações para o ensino das ciências: um repensar epistemológico. Revista Ciência e Educação, Bauru, SPl v. 10, n. 3, pp. 363-381. 2004. https://doi.org/10.1590/S1516-73132004000300005

CARVALHO, A. M. P de. Ensino de Ciências: Unindo a pesquisa e a prática. Pioneira Thomson Learning. São Paulo: Brasil. 2004. 154 p.

CARVALHO, A. M. P. de; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de Ciências: tendências e inovações. 10a. ed. Editora Cortez. São Paulo: Brasil. 2011.

CARVALHO JÚNIOR, P.M. et al. Avaliação do programa de residência multiprofissional em saúde da família: uma análise qualitativa através de duas técnicas. Revista do Hospital Universitário Pedro Ernesto, Rio de Janeiro, v. 11, pp. 114-119. 2012. Disponível em: < http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=319>

CEOLIN, I.; CHASSOT, A. I.; NOGARO, A. Ampliando a alfabetização científica por meio do diálogo entre saberes acadêmicos, escolares e primevos. Revista Fórum Identidades, Itabaiana: Gepiadde, v. 18, n. 9, pp. 13-34. 2015.

CHALMERS, A. F. O que é ciência afinal? Brasiliense. São Paulo: Brasil. 1993.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. Editora Unijuí. Ijuí: Brasil. 2000. pp. 432.

CHASSOT, A. A ciência através dos tempos. 2a. ed. Coleção Polêmica. Moderna. São Paulo. Brasil, 2004. pp. 191.

CHASSOT, A. Educação consciência. 2.ed. Edunisc. Santa Cruz do Sul: Brasil. 2007. pp. 244.

COSTA, F. R. et al. As visões distorcidas da Natureza da Ciência sob o olhar da História e Filosofia da Ciência: uma análise nos anais dos ENEQ e ENEBIO de 2012 e 2014. Revista Actio, Curitiba, v. 2, n. 2, pp. 4-20. 2017. https://doi.org/10.3895/actio.v2n2.6808

CRESPO. M. A. G.; POZZO, J. I. Aprendizagem e o ensino de ciências. 5a. ed. Editora Artmed. Porto Alegre: Brasil. 2009.

DEMO, P. Metodologia científica em Ciências Sociais. 3a. ed. Editora Atlas. São Paulo: Brasil. 1995.

ENGEL, G. I. Pesquisa-ação. Educar, Curitiba, n. 16, pp. 181-191. 2000. https://doi.org/10.1590/0104-4060.214

FOUREZ, G. Crise no Ensino de ciências? Revista Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 8, n. 2, pp. 109-123. 2003.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Editora Paz E Terra. Rio de Janeiro: Brasil. 1975.

GALVÃO, C.; REIS, P.; FREIRE, S. A Discussão de Controvérsias Sociocientíficas na Formação de Professores. Revista Ciência & Educação, Bauru, v. 17, n. 3, pp. 505-522. 2011. https://doi.org/10.1590/S1516-73132011000300001

GIL-PÉREZ, D. et al. Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Revista Ciência e Educação, Bauru, v. 7, n. 2, pp. 125-153. 2001. https://doi.org/10.1590/S1516-73132001000200001

GOLDSCHMIDT, A. I., GOLDSCHMIDT-JÚNIOR, J. L. G., LORETO, É. L. Concepções referentes à ciência e aos cientistas entre alunos de anos iniciais e alunos em formação docente. Revista Contexto e Educação, Ijuí, v. 29, n. 92, pp. 132-164. 2014. DOI: https://doi.org/10.21527/2179-1309.2014.92.132-164 .

GUIMARÃES, M. A. Raciocínio informal e a discussão de questões sociocientíficas: o exemplo das células-tronco humanas. 222f. Tese (doutorado). Programa de pós-graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2011.

MATTHEWS M. R. História e Ensino de Ciências: A tendência Atual de Reaproximação. Caderno Catarinense de Ensino de Física, Florianópolis, v. 12, n. 3, pp. 164-214, 1995.

MARTINS, A. F. P. História e Filosofia da ciência no ensino: há muitas pedras nesse caminho. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 24, n. 1, pp. 112-131, abr. 2007. DOI: https://doi.org/10.5007/%25x.

MARTÍNEZ PÉREZ, L. F. A abordagem de questões sociocientíficas na formação continuada de professores de ciências: contribuições e dificuldades. 351 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências, 2010. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/102011>. Visitou em: 01, abr., 2019.

MENDES, A. A. P.; HORN, G. B. O uso de mapas conceituais para leitura de textos no ensino de filosofia no ensino médio. In: PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Superintendência de Educação. O professor PDE e os desafios da escola pública paranaense. 2010. SEED/PR, V. 1. (Cadernos PDE). Curitiba. 2014. Disponível em: . Acesso em 27 maio 2019.

MENDONÇA, C. A. S. Investigando conhecimentos dos Licenciandos em Biologia sobre Aprendizagem Significativa. Aprendizagem Significativa em Revista, Porto Alegre, v. 2, n. 3, pp. 14-24. 2012.

MINAYO, M. C. de S. (org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18a. ed. Vozes. Petrópolis: Brasil. 2001.

MOREIRA, M. A. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. Editora Centauro. São Paulo: Brasil. 2010.

MOURA, B. A. Formação crítico-transformadora de professores de Física: uma proposta a partir da História da Ciência.309 f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Instituto de Física, Instituto de Química, Instituto de BioCiências, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/81/81131/tde-28092012-143219/publico/Breno_Arsioli_Moura.pdf>. Visitou em: 01, abr., 2019

PIRES, E. A. C.; MALACARNE, V.; SAUCEDO, R. R. Concepções sobre a natureza da ciência de alunos concluintes do curso de Pedagogia. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, Vigo, v. 16, n. 2, pp. 215-230. 2017. Disponível em: <http://reec.uvigo.es/REEC/spanish/REEC_older_es.htm>. Acesso em: 10.07.2018

ROCHA, L. N. As diversas possibilidades da aprendizagem no ensino de ciências. 37f. Produção didático-pegagógica, apresentado a Secretaria de Estado da Educação e a Universidade do Paraná. Curitiba. 2014.

SANTOS, W. L. P. dos; MORTIMER, E. F. Abordagem de aspectos sociocientíficos em aulas de ciências: possibilidades e limitações. Investigações em ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 14, n. 2, pp. 191-218, 2009. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/355/222. Visitou em:02 set. 2020.

SOUZA, A. L. S., CHAPANI, D. T. Concepções de ciência de um grupo de licenciandas em Pedagogia e suas relações com o processo formativo. Revista Ciência e Educação, Bauru, v. 21, n. 4, pp. 945-957. 2015. https://doi.org/10.1590/1516-731320150040010

TAVARES, R. Aprendizagem significativa e o ensino de ciências. Ciências & Cognição, Ilha do Fundão-Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, pp. 94-100. 2008. Disponível em: <http://www.cienciasecognicao.org>. Acessado em: 27 maio 2019.

TESSER, G. J. Principais linhas epistemológicas Contemporâneas. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 10, pp. 91-98. 1995. https://doi.org/10.1590/0104-4060.131

TOBALDINI, B. G. et al. Aspectos sobre a natureza da ciência apresentados por alunos e professores de licenciatura em Ciências Biológicas. Revista Eletrónica de Enseñanza de las Ciencias, Vigo, v. 10, n. 3, pp. 457-480. 2011.

VESTERINEN, V.; AKSELA, M. Design of chemistry teacher education course of nature of science. Science & Education, Universidade de Oxford, Reino Unido, v. 22, pp. 2193-2225. 2013. https://doi.org/10.1007/s11191-012-9506-0

Cómo citar
Baccin, B. A., Dutra, R. da R., & Coutinho, R. X. (2020). Ciencia como tema sociocientífico en la formación inicial de profesores de ciencias biológicas. Góndola, enseñanza Y Aprendizaje De Las Ciencias, 15(3), 426-443. https://doi.org/10.14483/23464712.14821
Publicado: 2020-12-07