DOI:

https://doi.org/10.14483/23464712.15810

Publicado:

2021-03-16 — Actualizado el 2021-03-23

Número:

Vol. 16 Núm. 1 (2021): Enero - Abril

Sección:

ARTÍCULOS

Reconfigurando o currículo e discutindo questões étnico-raciais em um curso técnico

Reconfiguring the curriculum and discussing ethnic-racial issues in a technical course

Reconfigurando el currículo y discutiendo cuestiones étnico-raciales en un curso técnico

Autores/as

Palabras clave:

ensino de ciências, ensino de química, proposta curricular (pt).

Palabras clave:

enseñanza de las ciencias, enseñanza de la química, propuesta curricular (es).

Palabras clave:

science teaching, chemistry teaching, curricular reconfiguration (en).

Resumen (pt)

O currículo escolar, muitas vezes, tem sido decidido por classes dominantes e expressa conteudismo e descontextualização. No entanto, movimentos sociais têm impulsionado modificações no currículo para o tratamento de questões étnico-raciais. Na busca pela contextualização com a realidade e integração entre as ciências, objetivamos investigar os processos de ensino e aprendizagem por meio do desenvolvimento de uma proposta de reconfiguração curricular com o tema cuidado de cabelos crespos e cacheados. Para isso, a proposta foi desenvolvida e implementada em uma escola técnica com trinta e dois estudantes participantes, os quais responderam a um questionário e elaboraram duas produções textuais. Os dados foram analisados à luz da Análise Textual Discursiva da qual obtivemos três categorias emergentes, a saber: O processo de rejeição/aceitação da identidade por meio do cabelo; Níveis de compreensão do conteúdo; e, O problema do consumo em detrimento da reafirmação da identidade. Os resultados apontam que a aceitação da identidade racial negra aparece entre os estudantes por meio dos cabelos cacheados, mas, nesse processo, está inserito o problema do consumismo. Além disso, conforme expresso nas atividades, os estudantes apresentaram evidências da aprendizagem de conteúdos químicos por meio do tema discutido.

Resumen (en)

The school curriculum has often been decided by dominant classes and expresses content and decontextualization. However, social movements have driven changes in the curriculum to address ethnic-racial issues. In the search for contextualization with reality and integration between the sciences, we aim to investigate the teaching and learning processes through the development of a curricular reconfiguration proposal with the theme of curly and wavy hair. For this, the proposal was developed and implemented in a technical school with thirty-two participating students, who answered a questionnaire and prepared two textual productions. The data were analyzed in the light of the Discursive Textual Analysis from which arise three emerging categories, namely: The process of rejection/acceptance of identity through hair; Levels of content understanding; and, The problem of consumption at the expense of reaffirming identity. The results show that the acceptance of black racial identity appears among students through curly hair, but in this process, the problem of consumerism is inserted. Also, as expressed in the activities, students presented evidence of learning chemical contents through the topic discussed.

Resumen (es)

El currículo escolar a menudo ha sido establecido por las clases dominantes expresando énfasis en los contenidos y descontextualización. Sin embargo, algunos movimientos sociales han impulsado cambios en el plan de estudios para abordar los problemas étnicos y raciales. Buscando contextualización e integración entre las ciencias, nos proponemos investigar los procesos de enseñanza y aprendizaje mediante el desarrollo de una propuesta de reconfiguración curricular, con el tema del cuidado de cabellos ondulados y afros. Para ello, la propuesta se desarrolló e implementó en una escuela técnica con treinta y dos estudiantes participantes, quienes respondieron un cuestionario y elaboraron dos producciones textuales. Los datos fueron analizados por medio de Análisis Textual Discursivo, de donde surgieron tres categorías emergentes: El proceso de rechazo/aceptación de la identidad a través del cabello; Los niveles de comprensión del contenido y El problema del consumo en detrimento de la reafirmación de la identidad. Los resultados indican que la aceptación de la identidad racial negra por parte de los estudiantes se relaciona con el tipo de cabello, pero en este proceso interfiere el problema del consumismo. Además, como se expresó en las actividades, los estudiantes presentaron evidencia de aprendizaje de contenidos de la química  a través del tema discutido.

Biografía del autor/a

Sara Souza Pimenta, Universidade Estadual de Santa Cruz

Professora licenciada em Química. Mestre em Educação em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Ilhéus, BA – Brasil

Andrei Steveen Moreno Rodriguez, Universidade Estadual de Santa Cruz

Doutor em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Brasil. Professor Adjunto Visitante do Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas, Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Ilhéus, BA – Brasil.

Elisa Prestes Massena, Universidade Estadual de Santa Cruz

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Brasil. Professora e orientadora no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática, Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Ilhéus, BA – Brasil. Professora Titular do Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas da mesma instituição.

Referencias

ALMEIDA, C. L. S. Situação de Estudo na formação de professores em escolas do campo de Coaraci-BA. 119p. (Dissertação). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências. Universidade Estadual de Santa Cruz-UESC, Ilhéus. 2017.

APPLE, M. W. A luta pela democracia na educação crítica. Revista e-Curriculum, São Paulo, v.15, n.4, pp. 894-926, 2017.

APPLE, M. W. Ideologia e currículo. 3. ed. Artmed. Porto Alegre: Brasil, 2006. 288p.

APPLE, M. W. Política cultural e educação. Cortez. São Paulo: Brasil, 2000.

APPLE. M. W. Education, politics, and social transformation. University of Wisconsin. Madison: Estados Unidos, 2014.

APPLE. M. W. Políticas de direita e branquidade: a presença ausente da raça nas reformas educacionais. Revista Brasileira de Educação. Traduzido por: Bujes, M. I. E. n. 16, pp. 61-67, 2001.

https://doi.org/10.1590/S1413-24782001000100007

AUTH, M.A. Formação de professores de ciências naturais na perspectiva temática e unificadora. 250p. Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2002.

bell hooks. Race and Representation. South end Press. Boston: Estados Unidos, 1992.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação. Traduzido por: ALVAREZ, M. J.; SANTOS, S. B.; BAPTISTA, T. M. Porto Editora. Porto: Portugal, 1994.

BOMFIM, R. C.; MASSENA, E. P. Automedicação como tema de situação de estudo. Góndola.Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias, v.14, n. 2, pp.360-375, 2019.

https://doi.org/10.14483/23464712.13519

BRASIL. Lei nº 10.639, de 09 Janeiro de 2003. Inclui no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF.

BYRD, A. D.; THARPS, L. L. Hair story: untangling the roots of black hair in America. St. Martin's Press. New York: United States, 2001.

COCHRAN-SMITH, M.; LYTLE, S. Relationships of Knowledge and Practice: Teacher Learning in Communities. Review of Research in Education. American Educational Research Association, v. 24, pp. 249-305, 1999.

https://doi.org/10.2307/1167272

CULTURA NEGRA E IDENTIDADES. MUNANGA, K. Negritude: usos e sentidos. 3. ed. 1. reimp. Autêntica Editora. Belo Horizonte: Brasil, 2012.

JESUS, J; PAIXÃO, M. C. S; PRUDÊNCIO, C. A. V. Relações étnico-raciais e o ensino de ciências: um mapeamento das pesquisas sobre o tema. Revista FAEEBA, v. 28, pp. 221-236, 2019. Disponível em: <https://www.revistas.uneb.br/index.php/faeeba/article/view/7192> Acesso em: 16-06-2020.

https://doi.org/10.21879/faeeba2358-0194.2019.v28.n55.p221-236

FREIRE, U.K.S. Rio Almada: uma Situação de Estudo como proposta para o ensino de Química. 51p. Graduação em Licenciatura em Química. Universidade Estadual de Santa Cruz. Ilhéus, Bahia. 2017.

GEHLEN, S.T.; MALDANER, O.A.; DELIZOICOV, D. Momentos Pedagógicos e as etapas da Situação de Estudo: Complementaridades e Contribuições para a Educação em Ciências. Ciências e Educação, Bauru, v. 18, n. 1, pp. 1-22, 2012.

https://doi.org/10.1590/S1516-73132012000100001

GIROUX, H. Praticando estudos culturais nas faculdades de educação. In: SILVA, T.T. (org). Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. ed. 1. Ed. Vozes. Petrópolis, Rio de Janeiro: Brasil, 1995.

GOMES, N. L. Educação, identidade negra e formação de professores/as: um olhar sobre o corpo negro e o cabelo crespo. Educação e Pesquisa, v.29, n.1, pp. 167-182, 2003.

https://doi.org/10.1590/S1517-97022003000100012

GOMES, N. L. História da África e das culturas afro-brasileiras: processos para a transversalidade emancipatória. 35 min. UNESCO Brasília, 2012.

GOMES, N. L. Relações étnico-raciais, educação e descolonização dos currículos. Currículo sem Fronteiras, v.12, n.1, pp. 98-109, 2012.

GOMES, N. L. Sem perder a raiz - Corpo e cabelo como símbolos da identidade negra. Ed. Autêntica. Brasil, 2006. 416p.

GOMES, N. L. Trajetórias escolares, corpo negro e cabelo crespo. Revista Brasileira de Educação, n.21, pp. 40-51, 2002.

https://doi.org/10.1590/S1413-24782002000300004

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. População chega a 205,5 milhões, com menos brancos e mais pardos e pretos. Ed. Estatísticas Sociais. 2019. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias.html?id=18282:pnad-c-moradores&view=article. Acesso em: 30-08-2019.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. PNAD Contínua 2016: 51% da população com 25 anos ou mais do Brasil possuíam no máximo o ensino fundamental completo. Ed. Estatísticas Sociais. 2017. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/18992-pnad-continua-2016-51-da-populacao-com-25-anos-ou-mais-do-brasil-possuiam-no-maximo-o-ensino-fundamental-completo. Acesso em: 08-08-2020.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pretos ou pardos estão mais escolarizados, mas desigualdade em relação aos brancos permanece. Ed. Estatísticas Sociais. 2019. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/25989-pretos-ou-pardos-estao-mais-escolarizados-mas-desigualdade-em-relacao-aos-brancos-permanece#:~:text=A%20taxa%20de%20ingresso%20no,brancos%2C%2053%2C2%25. Acesso em: 08-08-2020.

IPEA. Retrato das desigualdades de gênero e raça. ed. 4. Ed Ipea. Brasília: Brasil, 2011.

KARIMI, M.; BEHJATMANESH-ARDAKANI, A.; GOUDIB, A. A.; ZALI, S. Sodium Dodecyl Sulfate-Coated Alumina and C18 Cartridge for the Separation and Preconcentration of Cationic Surfactants Prior to their Quantitation by Spectrophotometric Method. Journal of the Brazilian Chemical Society, v. 19, n. 8, pp. 1523-1530, 2008.

https://doi.org/10.1590/S0103-50532008000800011

MALDANER, O. A. Situações de estudo no ensino médio: nova compreensão de educação básica. In: NARDI, R. (Org.). A pesquisa em ensino de ciências no Brasil: alguns recortes. Escrituras. São Paulo: Brasil, 2007. pp. 239-254.

MALDANER, O. A.; ZANON, L. B. Situação de Estudo: uma organização do ensino que extrapola a formação disciplinar em Ciências. In: MORAES, R.; MANCUSO, R. (Orgs.). Educação em Ciências: Produção de currículos e formação de professores. 2 ed. Ed. Unijuí. Ijuí: Brasil, 2006. pp. 43-175.

MASSENA. E. P.; BRITO, L. D. Caminhos e descaminhos da Situação de Estudo (SE): a experiência vivenciada por um grupo de formadores de professores. In: MASENA, E.P. (Org). Situação de Estudo: Processo de significação pela pesquisa em grupos interinstitucionais. Ed. Unijuí. Ijuí: Brasil, 2015.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. do C. Análise Textual Discursiva. 2 ed. Ed. Unijuí. Ijuí: Brasil, 2013.

MUNANGA, K.; GOMES, N. L. O negro no Brasil de hoje. Global. São Paulo: Brasil, 2006. pp. 139-168.

MUNANGA. K. Entrevista de Kabengele Munanga: A difícil tarefa de definir quem é negro no Brasil. Estudos avançados, v. 18, n. 50, pp. 51-56, 2004.

https://doi.org/10.1590/S0103-40142004000100005

OLIVEIRA, R. A. G.; ZANONI, T. B.; BESSEGATO, G. G.; OLIVEIRA, D. P.; UMBUZEIRO. G. A.; ZANONI. M. V. B. A química e toxicidade dos corantes de cabelo. Química Nova, v. 37, n. 6, pp. 1037-1046, 2014.

RUÍZ, S. E. Didactica de las Ciencias desde la diversidade cultural y ambiental: aportes para um currículo contextualizado. GÓNDOLA, Enseñanza y Aprendizage de las Ciencia, v. 13, n. 2, pp.291-305, 2018.

https://doi.org/10.14483/23464712.12546

SILVA, F A. Situação de Estudo na formação de professores do MST: diálogos com Henri A. Giroux. 132p. (Dissertação). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências. Universidade Estadual de Santa Cruz-UESC, Ilhéus, Brasil. 2019.

SILVA, T.T. Currículo e identidade social: territórios contestados. In: SILVA, T.T. (org). Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. Ed. Vozes. Petrópolis, Rio de Janeiro: Brasil, 2011.

TORRES SANTOMÉ, J. As culturas negadas e silenciadas no currículo. In: SILVA, T.T. (org). Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. ed. 1. Ed. Vozes. Petrópolis, Rio de Janeiro: Brasil, 1995.

TORRES, N.; SOLBES, J. Aspectos convergentes del pensamento crítico y las cuestiones sociocientíficas. GÓNDOLA, Enseñanza y Aprendizage de las Ciencias, v. 9, n. 1, pp.54-61, 2014.

https://doi.org/10.14483/23464712.7312

VERRANGIA, D.; SILVA, P. B. G. Cidadania, relações étnico-raciais e educação: desafios e potencialidades do ensino de ciências. Educ. Pesqui.[online], v.36, n.3, pp.705-718, 2010.

https://doi.org/10.1590/S1517-97022010000300004

VIGOTSKY, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. Martins Fontes. São Paulo: Brasil, 2001.

WOODWARD, K. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, T.T. (Org.). Identidade e diferença - a perspectiva dos estudos culturais. Vozes. Petrópolis: Brasil, 2013. 133p.

Cómo citar

APA

Souza Pimenta, S., Steveen Moreno Rodriguez, A., & Prestes Massena, E. . (2021). Reconfigurando o currículo e discutindo questões étnico-raciais em um curso técnico. Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias, 16(1). https://doi.org/10.14483/23464712.15810

ACM

[1]
Souza Pimenta, S., Steveen Moreno Rodriguez, A. y Prestes Massena, E. 2021. Reconfigurando o currículo e discutindo questões étnico-raciais em um curso técnico. Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias. 16, 1 (mar. 2021). DOI:https://doi.org/10.14483/23464712.15810.

ACS

(1)
Souza Pimenta, S.; Steveen Moreno Rodriguez, A.; Prestes Massena, E. . Reconfigurando o currículo e discutindo questões étnico-raciais em um curso técnico. Góndola enseñ. aprendiz. cienc. 2021, 16.

ABNT

SOUZA PIMENTA, S.; STEVEEN MORENO RODRIGUEZ, A.; PRESTES MASSENA, E. . Reconfigurando o currículo e discutindo questões étnico-raciais em um curso técnico. Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias, [S. l.], v. 16, n. 1, 2021. DOI: 10.14483/23464712.15810. Disponível em: https://revistas.udistrital.edu.co/index.php/GDLA/article/view/15810. Acesso em: 11 abr. 2021.

Chicago

Souza Pimenta, Sara, Andrei Steveen Moreno Rodriguez, y Elisa Prestes Massena. 2021. «Reconfigurando o currículo e discutindo questões étnico-raciais em um curso técnico». Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias 16 (1). https://doi.org/10.14483/23464712.15810.

Harvard

Souza Pimenta, S., Steveen Moreno Rodriguez, A. y Prestes Massena, E. . (2021) «Reconfigurando o currículo e discutindo questões étnico-raciais em um curso técnico», Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias, 16(1). doi: 10.14483/23464712.15810.

IEEE

[1]
S. Souza Pimenta, A. Steveen Moreno Rodriguez, y E. . Prestes Massena, «Reconfigurando o currículo e discutindo questões étnico-raciais em um curso técnico», Góndola enseñ. aprendiz. cienc., vol. 16, n.º 1, mar. 2021.

MLA

Souza Pimenta, S., A. Steveen Moreno Rodriguez, y E. . Prestes Massena. «Reconfigurando o currículo e discutindo questões étnico-raciais em um curso técnico». Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias, vol. 16, n.º 1, marzo de 2021, doi:10.14483/23464712.15810.

Turabian

Souza Pimenta, Sara, Andrei Steveen Moreno Rodriguez, y Elisa Prestes Massena. «Reconfigurando o currículo e discutindo questões étnico-raciais em um curso técnico». Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias 16, no. 1 (marzo 23, 2021). Accedido abril 11, 2021. https://revistas.udistrital.edu.co/index.php/GDLA/article/view/15810.

Vancouver

1.
Souza Pimenta S, Steveen Moreno Rodriguez A, Prestes Massena E. Reconfigurando o currículo e discutindo questões étnico-raciais em um curso técnico. Góndola enseñ. aprendiz. cienc. [Internet]. 23 de marzo de 2021 [citado 11 de abril de 2021];16(1). Disponible en: https://revistas.udistrital.edu.co/index.php/GDLA/article/view/15810

Descargar cita

Visitas

31

Dimensions


PlumX


Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.