Possibilidades de se promover a necessidade de pertencimento em aulas de física

Possibilities to promote the need for relationship in physics classrooms

  • Luiz Clement Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Nayra Luiza Carminatti Universidade do Estado de Santa Catarina
  • José Francisco Custódio Universidade Federal de Santa Catarina
  • José de Pinho Alves Filho Universidade Federal de Santa Catarina
Palabras clave: relationship, physics teaching, self-determination theory, teaching per inquiry (en_US)
Palabras clave: pertencimento, ensino de física, teoria da autodeterminação, ensino por investigação (pt_BR)

Resumen (pt_BR)

Neste artigo apresentamos uma análise centrada em torno dos seguintes questionamentos: I) O ser humano possui a necessidade de estabelecer vínculos/de pertencer, mas como isso se reflete no contexto escolar? II) Quais as possibilidades de se promover a necessidade de pertencimento em sala de aula, especificamente em aulas de Física do Ensino Médio, por meio de Atividades Didáticas (AD) baseadas no ensino por investigação? Para as análises pretendidas buscamos suporte teórico na Teoria da Autodeterminação, que prevê um conjunto de três necessidades psicológicas básicas (competência, autonomia e pertencimento) para avaliar e explicar o envolvimento e a motivação das pessoas em suas atividades. A necessidade de pertencimento (foco deste estudo) abarca as conexões seguras e satisfatórias das pessoas no contexto social. Portanto, não podemos ignorar esta necessidade no contexto escolar, justamente pela sua influência no processo de ensino-aprendizagem. Isso nos conduziu a avaliar como foram oferecidos suportes para promoção e satisfação da necessidade de pertencimento em atividades didáticas de caráter investigativo. Constatou-se que as atividades proporcionaram um ambiente escolar favorável à troca e discussão efetiva de ideias, com reciprocidade e confiança em prol à construção do conhecimento com maior protagonismo dos estudantes. Dessa forma, vê-se nessa perspectiva educacional uma possibilidade de satisfazer a necessidade de pertencimento.

Resumen (en_US)

This paper presents an analysis centered on the following questions: I) the human being has the need to relationship, but how this is reflected in the school environment? II) What are the possibilities of promoting the need of relationship in the classroom, specifically in high school physics classes, through Didactic Activities (AD) based on learning per inquiry? For the analysis planned we seek theoretical support in Self-Determination Theory, which provides for a set of three basic psychological needs (competence, autonomy and relationship) to assess and explain the involvement and motivation of people in their activities. The need to relationship (focus of this study) encompasses safe and satisfying connections of people in a social context. So we cannot ignore this need in the school context, precisely because its influence in the teaching-learning process. That led us to assess how were offered supports for promotion and satisfaction the relationship need in didactic activities of teaching per inquiry. It was observed that the activities provided a school environment conducive to effective discussion and exchange of ideas, with reciprocity and trust towards the construction of knowledge with greater protagonism of the students. That way, we see in this educational perspective a possibility to satisfy the need of relationship.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Luiz Clement, Universidade do Estado de Santa Catarina
Doutor em Educação Científica e Tecnológica. Professor do Departamento de Física e do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Matemática e Tecnologias. Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Joinville/SC, Brasil.
Nayra Luiza Carminatti, Universidade do Estado de Santa Catarina
Estudante do Curso de Licenciatura em Física. Bolsista de iniciação científica. Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Joinville/SC, Brasil.
José Francisco Custódio, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Educação Científica e Tecnológica. Professor do Departamento de Física e do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis/SC, Brasil.

José de Pinho Alves Filho, Universidade Federal de Santa Catarina
Doutor em Educação. Professor do Departamento de Física e do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis/SC, Brasil.

Referencias

AZEVEDO, M. C. P. S. Ensino por Investigação: problematizando as atividades em sala de Aula. In: CARVALHO, A. M. P. de (org.). Ensino de Ciências: unindo a pesquisa e a prática. 2ª reimp. (1ª ed. 2004), São Paulo: Cengage Learning, 2009. p. 19-33.

BALLENILLA, F. Enseñar Investigando: cómo formar professores desde la práctica? 3ª. ed. Sevilla: Díada, 1999. (Serie Practica, n.12. Coleção Investigación y Enseñanza).

BAUMEISTER, R. F.; LEARY, M. R. The need to belong: desire for interpersonal attachments as a fundamental human motivation. Psychological Bulletin, v. 117, n. 3, p. 497-529, 1995.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Orientações Curriculares para o Ensino Médio: Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: Ministério da Educação, 2006. (Orientações curriculares para o ensino médio, volume 2).

______. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio. Brasília: Ministério da Educação, 2000.

______. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. PCN+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC, SEMTEC, 2002.

______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei nº 9.394, de 20/12/1996. Disponible en: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm

CARVALHO, A. M. P. (Org.). Ensino de Ciências por Investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning, 2013. p. 1-20.

CLEMENT, L.; CUSTÓDIO, J. F.; ALVES FILHO, J. P. Potencialidades do Ensino por Investigação para Promoção da Motivação Autônoma na Educação Científica. Alexandria (UFSC), v. 8, p. 101-129, 2015.

______. A Qualidade da Motivação em Estudantes de Física do Ensino Médio. Revista Electrónica de Investigación en Educación en Ciencias, v. 9, n. 1, p. 84-95, 2014.

CLEMENT, L. Autodeterminação e Ensino por Investigação: Construindo Elementos para Promoção da Autonomia em Aulas de Física, 334 p. Tese de Doutorado. UFSC, Florianópolis, 2013.

CLEMENT, L.; TERRAZZAN, E. A. Atividades Didáticas de Resolução de Problemas e o Ensino de Conteúdos Procedimentais. Revista Electrónica de Investigación en Educación en Ciências, v. 6, n. 1, p. 87-101, 2011.

______. Resolução de Problemas de Lápis e Papel numa Abordagem Investigativa. Experiências em Ensino de Ciências, v. 7, n. 2, p. 98-116, 2012.

DECI, E. L.; et al. Motivation in education: the self-determination perspective. Educational Psychologist, v. 26, n. 3/4, p. 325-346, 1991.

DECI, E. L.; RYAN, R. M. Intrinsic motivation and self-determination in human behavior. New York. Plenum Press, 1985.

______. The “What” and “Why” of Goal Pursuits: human needs and the Self-Determination of Behavior. Psychological Inquiry, v. 11, n. 4, p. 227-268, 2000.

FLOR, J. I. Recursos para la investigación en el aula. 2ª ed. Sevilla: España, DÍADA, 1996. 82 p. (Série Practica, n. 8. Colección Investigación y Enseñanza).

GARCÍA, E. J.; GARCÍA, F. F. Aprender investigando: una propuesta metodológica basada en la investigación. 7ª. ed. Sevilla: España,

DÍADA, 2000. 93 p. (Série Practica, n. 2. Colección Investigación y Enseñanza).

GUIMARÃES, S. E. R.; BORUCHOVITCH, E. O Estilo Motivacional do Professor e a Motivação Intrínseca dos Estudantes: uma perspectiva da teoria da autodeterminação. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 17, n. 2, p.143-150, 2004.

MUNFORD, D.; LIMA, M. E. C. C. Ensinar ciências por investigação: em quê estamos de acordo? Revista Ensaio, Belo Horizonte: UFMG, v. 9, n. 1, 2007.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL (NRC). Inquiry and the National Science Education Standards: a guide for teaching and learning. 10th Printing, Washington D.C.: National Academy Press, 2008. 202 p.

OSTERMAN, K. F. Students’ need for belonging in the school community. Review of Educational Research, v. 70, n. 3, p. 323-367, 2000.

REEVE, J. Motivação e Emoção. Tradução de Luís Antônio Fajardo Pontes e Stella Machado. 4a ed., Rio de Janeiro: LTC, 2006. 287 p.

REEVE, J.; SICKENIUS, B. Development and validation of a brief measure of three psychological needs underlying intrinsic motivation: the AFS scales. Educational & Psychological Measurement, v. 54, n. 2, p. 506-516, 1994.

RODRIGUES, B. A.; BORGES, A. T. O ensino de ciências por investigação: reconstrução histórica. In: Encontro de Pesquisa em Ensino de Física, XI, 2008, Curitiba. Atas do XI EPEF, Curitiba: SBF, 2008.

RYAN, R. M.; DECI, E. L. Intrinsic and extrinsic motivations: Classic definitions and new directions. Contemporary Educational Psychology, v. 25 n. 1, p.54-67, 2000a.

______. Selfdetermination theory and the facilitation of intrinsic motivation, social development, and well-being. American Psychologist, v. 55 n. 1, p. 68-78, 2000b.

RYAN, R. M.; POWELSON, C. L. Autonomy and relatedness as fundamental to motivation and education. Journal of Experimental Education, v. 60, p. 49-66, 1991.

RYAN, R. M.; STILLER, J.; LYNCH, J. H. Representations of relationships to teachers, parents, and friends as predictors of academic motivation and self-esteem. Journal of Early Adolescence, v. 14, p. 226-249, 1994.

SÁ, E. F. et al. As características das atividades investigativas segundo tutores e coordenadores de um curso especialização em ensino de ciências. In: VI Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências. Anais do VI ENPEC, Florianópolis: ABRAPEC, 2007.

Cómo citar
Clement, L., Carminatti, N. L., Custódio, J. F., & Alves Filho, J. de P. (2016). Possibilidades de se promover a necessidade de pertencimento em aulas de física. Góndola, Enseñanza Y Aprendizaje De Las Ciencias (Bogotá, Colombia), 11(1), 26-42. https://doi.org/10.14483/udistrital.jour.gdla.2016.v11n1.a2
Publicado: 2016-01-01
Sección
ARTÍCULOS