O desempenho de alunos brasileiros e a avaliação pisa: alguns aspectos para discussão

The brazilian students’ performance and the PISA assessment: some aspects for discussion

  • Andreia Freitas Zompero Universidade Norte do Paraná, UNOPAR
  • Helenara Regina Sampaio Figueiredo Universidade Norte do Paraná, UNOPAR
  • Karen Mayara Vieira Universidade Norte do Paraná, UNOPAR
Palabras clave: PISA, cognitive abilities, sciences teaching (en_US)
Palabras clave: PISA, habilidades cognitivas, ensino de ciências (pt_BR)

Resumen (pt_BR)

O estudo foi realizado com alunos do nono ano de uma escola “A” que não desenvolve iniciação científica e uma escola “B”, com atividades de iniciação científica. Foram aplicadas duas questões da prova PISA. O instrumento foi composto pela questão A da atividade intitulada “O Diário de Semmelweis” e a atividade “Moscas”. Analisamos as respostas segundo critérios de correção apontados pelo PISA, respostas “Total”, “Parcial” e “Nula”. Identificamos que os percentuais de respostas totais e parciais da atividade 1 foram superiores na escola “B”, quando comparados com a escola “A”; já na atividade 2, ambas escolas não tiveram respostas “Totais”. Os resultados indicam que os estudantes apresentam conhecimento declarativo satisfatório, mas apontam a necessidade de o ensino proporcionar o desenvolvimento de habilidades e competências relacionadas a uma investigação científica em ambas escolas.

Resumen (en_US)

This study was carried out with students from the ninth grade called as "A" that does not develop science learning activities and another one called school "B" that does. This study instrument was two questions from the PISA, the question A of the activity named "The Diary of Semmelweis” and the activity question “Flies". We have analyzed the students the answers as "Total", "Partial" and "Zero". We have found out that the percentages of “Total and Partial” responses in activity 1 were higher in School "B" when compared to School "A"; whereas in activity 2, both schools had no "Total" answers performed. These results indicate that the skills and competencies related to scientific research must be developed in both schools.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Andreia Freitas Zompero, Universidade Norte do Paraná, UNOPAR
Doutroa em Ensino de Ciências. Docente do programa de mestrado em Ensino ,linguagens e tecnologias na Unopar e do curso de graduação em Ciências Biológicas
Helenara Regina Sampaio Figueiredo, Universidade Norte do Paraná, UNOPAR
Doutora em ensino de Ciências. Docente do curso de graduação em mateática da Universidade Norte do Paraná, UNOPAR
Karen Mayara Vieira, Universidade Norte do Paraná, UNOPAR
Graduanda do curso de licenciatura em Química na Unopar. Bolsista de Iniciação Científica da FUNADESP

Referencias

AAAS. (1989). American Association for the Advancement of Science. Science for all americans: a Projet 2061 report on literacy goala in Science, mathematics, and technology. Washington: AAAS.

BRASIL.(2002). Secretaria da Educação Média e Tecnológica. PCN+: Ensino Médio – orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC.

_______.(2014). Secretaria de Educação Básica. Formação de professores do ensino médio, Etapa II - Caderno III : Ciências da Natureza / Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica; [autores : Daniela Lopes Scarpa... et al.]. – Curitiba : UFPR/Setor de Educação.

CALDEIRA, A.M.A. (2005). Análise Semiótica do Processo de Ensino e Aprendizagem. Tese de Livre-docência. Unesp, Bauru.

CARVALHO, A. M. P. (2006). Las practices experimentales en el proceso de enculturación cientifica. In: GATICA, M Q; ADÚRIZ-BRAVO, A (Ed). Enseñar ciencias en el Nuevo milenio: retos e propuestas. Santiago: Universidade católica de Chile.

DEBOER, G. E. (2006). Historical perspectives on inquiry teaching in schools. In: FLICK; LEDREMAN. Scientific inquiry and nature of science. Implications for teaching, learning, and teacher education. Springer.

DUSCHL, R. (2007). Science Education in Three-Part Harmony: Balancing Conceptual, Epistemic and Social Learning Goals. Review of Research in Education, 32, 268-291.

GAVE (2003). PISA 2000 – Conceitos fundamentais em jogo na avaliação de literacia cientifica e competências dos alunos portugueses. Lisboa: Gabinete de Avaliação Educacional do Ministério da Educação, 2002. Disponível em: http://biblioteca.esec.pt/cdi/ebooks/docs/conceitos_literacia_cientifica%5b1%5dPisa2000.pdf. Acesso em 10 de set., 2015.

G1. (2015). Brasil ocupa 60ª posição em ranking de educação em lista com 76 países. Disponível em: http://g1.globo.com/educacao/noticia/2015/05/brasil-ocupa-60-posicao-em-ranking-de-educacao-em-lista-com-76-paises.html. Acesso em: 13 de maio, 2015.

GIL PÉREZ, D.; et al. (2001). Para uma visão não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação, 7(2), 125-153.

HODSON, D. (1994). Hacia un enfoque más crítico del trabajo de laboratorio. Enseñanza de las Ciencias, 12 (3), 299-313.

INEP (2015). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anisio Teixeira. PISA 2006: Relatório Nacional. Apresentação. Brasília, Disponível em: http://download.inep.gov.br/download/internacional/pisa/Relatorio_PISA2006.pdf. Acesso em: 20 jun., 2015.

KRASILCHIK, Myriam. (2004). Prática de Ensino de Biologia. 4ª Edição, Editora USP, São Paulo.

MAIA, P. F; JUSTI, R. (2008). Desenvolvimento de Habilidades no Ensino de Ciências e o Processo de Avaliação: uma análise da coerência. Ciência & Educação, 14(3), 431-50.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL (NRC). (2012). A Framework for K-12 Science Education: Practices, Crosscutting Concepts, and Core Ideas. Washington, DC: The National Academies Press.

OECD. (2013). PISA 2012. Assessment and Analytical Framework Mathematics, Reading, Science, Problem Solving and Financial Literacy. Disponível em http://www.oecd.org/pisa/pisaproducts/PISA%202012%20framework%20e-book_final.pdf. Acesso em: 10 de abr. de 2015.

OECD. (2015). PISA 2015. Draft Science framework. Disponível em http://www.oecd.org/pisa/pisaproducts/pisa2015draftframeworks.htm. Acesso em: 20, abr., 2015.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. (2011). Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências, 16(1), 59-77.

SUART, R. de C; MARCONDES, M. E. R. (2008). Atividades experimentais investigativas: habilidades cognitivas manifestadas por alunos do ensino médio. XIV ENCONTRO NACIONAL DE ENSINO DE QUÍMICA (XIV ENEQ). UFPR, Curitiba.

ZABALA, Antoni. (1998). A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed.

ZOLLER, U; et al. (2002). Algorithmic, LOCS and HOCS (chemical) exam questions: Performance and attitudes of college students. International Journal of Science Education, 24(2), 185-203.

Cómo citar
Zompero, A. F., Sampaio Figueiredo, H. R., & Vieira, K. M. (2016). O desempenho de alunos brasileiros e a avaliação pisa: alguns aspectos para discussão. Góndola, enseñanza Y Aprendizaje De Las Ciencias, 11(1), 86-99. https://doi.org/10.14483/udistrital.jour.gdla.2016.v11n1.a6
Publicado: 2016-01-01
Sección
ARTÍCULOS