Aprendizagem de conceitos de astronomia no ensino fundamental: uma oficina didática em preparação para a OBA

Learning astronomy concepts in elementary school: a didactic workshop as preparation to Brazilian Astronomy Olympiad

  • Suelen Aparecida Felicetti Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Realeza, Paraná, Brasil.
  • Isabel Cristina Miorando Luft Isabel Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS
  • Marcos Leandro Ohse Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS.
Palabras clave: atividades experimentais, conceitos, ensino de astronomia, ensino fundamental (en_US)
Palabras clave: atividades experimentais, conceitos, ensino de astronomia, ensino fundamental (pt_BR)

Resumen (pt_BR)

O objetivo principal deste trabalho foi mediar, para um grupo de alunos de 8o e 9o ano de uma escola pública da cidade de Realeza/PR, uma oficina didática na área de Astronomia em preparação para a Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA). Procurou-se por meio dessa mediação, trabalhar em conjunto com os alunos os conceitos de lixo espacial, telescópios, foguetes, fases da Lua, rotação, translação, revolução, satélites. Para isso, foram utilizadas atividades experimentais, vídeos, imagens e discussões como recursos metodológicos facilitadores do processo de aprendizagem. Também, foram aplicados um pré e um pós-teste com perguntas descritivas sobre os conceitos. As discussões e considerações foram embasadas nas percepções das autoras
durante a oficina e nas respostas dos testes aplicados. Observou-se que o processo de aprendizagem foi facilitado porque os alunos relacionaram novas informações com conceitos já assimilados antes, atribuindo e/ou modificando significados, conhecimentos estes que podem servir como precursores de outros trabalhos na área. Justifica-se assim, a importância da utilização de oficinas didáticas no ensino de Astronomia para promover a assimilação conceitual nos alunos dos anos finais do ensino fundamental.

Resumen (en_US)

The main objective of this work was to mediate, to 8th and 9th grade of public school from Realeza /PR, didactic workshops in the Astronomy area, as a preparation for the Brazilian Astronomy Olympiad (BAO). It was tried, by this mediation, to work with the students, concepts of space debris, telescopes, rockets, moon phases, rotation, translation, revolution and satellites. For this, were used experimental activities, videos, images and discussions as facilitators to methodological resources of the learning process. Also, it was applied a test before and after the work, with descriptive questions about the concepts. Discussions and considerations were based on the authors’ perceptions during the workshop, and on responses of applied tests. It was observed that learning process was facilitated, because students could relate new information with concepts already assimilated before, assigning and/or modifying meanings, which will serve as precursors to other work in the area. So, this justified the importance of using didactic workshops on astronomy education to promote conceptual assimilation on students at the final grades of elementary school.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Suelen Aparecida Felicetti, Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Realeza, Paraná, Brasil.

Graduada em Ciências Naturais pela Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS; mestre em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Estadual do Centro Oeste – UNICENTRO, campus Guarapuava/PR.

Isabel Cristina Miorando Luft Isabel, Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS
Acadêmica do curso de Ciências Biológicas na UFFS, campus Realeza/PR.
Marcos Leandro Ohse, Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS.
Professor mestre da área de matemática na UFFS, campus Realeza/PR.

Referencias

BARATIERI, S. M.; BASSO, N. R. S.; BORGES, R. M. R.; ROCHA FILHO, J. B. Opinião dos estudantes sobre a experimentação em química no ensino médio. Experiências em Ensino de Ciências, v. 3, n. 3, pp. 19-31, 2008. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2015.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Edições 70. Lisboa: Portugal, 1977.

BRASIL, M. E. C. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. MEC, SEB, DICEI. Brasilia: Brasil, 2013.

CAREGNATO, R. C. A.; MUTTI, R. Pesquisa qualitativa: análise de discurso versus análise de conteúdo. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v. 4, n. 15, pp. 679-684. 2006. https://doi.org/10.1590/S0104-07072006000400017

EL-HANI, C. N.; BIZZO, N. M. V. Formas de construtivismo: teoria da mudança conceitual e construtivismo contextual. In: II ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, v. 2, pp. 1-14. São Paulo. Departamento de Física Experimental Faculdade de Educação da USP. 2000.

FELICETTI, S. A.; BARBOSA, C. A.; SANTOS, J. M. T. A percepção de professoras das séries iniciais da região sudoeste do paraná sobre a experimentação no ensino de ciências. In: XI CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, EDUCERE, v. 11, pp. 14007-14018. Curitiba. Pontifícia Universidade Católica do Paraná. 2013.

FERREIRA, D.; MEGLHIORATTI, F. A. Desafios e possibilidades no ensino de Astronomia. s.d. Portal dia a dia educação. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2015.

FONTANELLA, D.; MEGLHIORATTI, F. A. Educação em Astronomia: contribuições de um curso de formação de professores em um espaço não formal de aprendizagem. Revista Eletrônica de Educação, v. 10, n. 1, pp. 234-248. 2016. https://doi.org/10.14244/198271991314

HEWITT, P. G. Fundamentos da física conceitual. Bookman. Porto Alegre: Brasil. 2009.

IACHEL, G.; LANGHI, R.; SCALVI, R. M. F. Concepções alternativas de alunos do ensino médio sobre o fenômeno de formação das fases da Lua. Revista Latino-americana de Educação em Astronomia-RELEA, v. 5, pp. 25-27. 2008.

KUGA, H. K.; RAO, K. R.; CARRARA, V. Satélites Artificiais Movimento Orbital. Insituto Nacional de Pesquisas Espaciais, . Disponible en: . Visitado el: 20-03-2017.

LANGHI, R. Educação em Astronomia: da revisão bibliográfica sobre concepções alternativas à necessidade de uma ação nacional. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 28, n. 2, pp. 373-399. 2011.

LANGHI, R.; NARDI, R. Ensino de Astronomia: Erros conceituais mais comuns presentes em livros didáticos de ciência. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 24, n. 1, pp. 87-111. 2007.

LEITE, C.; HOSOUME, Y. Explorando a dimensão espacial na pesquisa em ensino de Astronomia. Revista Electrónica de Enseñanza de Las Ciencias, v. 8, n. 3, pp. 797-811. 2009.

MACEDO, M. A. P.; RODRIGUES, M. A.. O tamanho dos planetas, de plutão e do sol e as distâncias entre estes: compreensão dos alunos e oficina pedagógica de baixo custo para trabalhar esta temática. Revista Latino-Americana de Educação em Astronomia, n. 19, pp. 23-42. 2015.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, São Paulo, v. 9, n. 2, pp.191-211. 2003. https://doi.org/10.1590/S1516-73132003000200004

PARANÁ, Secretaria de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares da Educação Básica. MEC. Paraná, Brasil. 2008. Disponível em: http://www. educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/diretrizes/ dce_cien.pdf. Acesso em 31 de mai. 2016.

SARAIVA, M. F. O.; AMADOR, C. B.; KEMPER, É.; GOULART, P.; MULLER, A. As fases da Lua numa caixa de papelão. Revista Latino-americana de Educação em Astronomia-RELEA, Florianópolis, v. 4, n. 1, pp. 9-26. 2007.

SCARINCI, A. L.; PACCA, J. L. A. Um curso de Astronomia e as preconcepções dos alunos. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 28, n. 1, pp. 89-99. 2006. https://doi.org/10.1590/S0102-47442006000100012

SCHEID, N. M. J.; SOARES, B. M.; FLORES, M. L. T. Universidade e escola básica: uma importante parceria para o aprimoramento da educação científica. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v. 2, n. 2, p. 70. 2009. https://doi.org/10.3895/S1982-873X2009000200005

SILVA, O. G.; NAVARRO, E. C. A relação professor- aluno no processo ensino-aprendizagem. Interdisciplinar: Revista Eletrônica da Univar, Barra do Barças, v. 3, n. 8, pp. 95-100. 2012.

SIMÕES, C.; FERNANDES, J. Astrologia e Astronomia: uma conversa entre as duas. Millinium [formato: negrita], Viseu, v. 19, n. 1, pp. 1-18. 2000.

VALLE, H. S.; ARRIADA, E. Educar para transformar: a prática das oficinas. Revista Didática Sistêmica, Rio Grande, v. 14, n. 1, pp. 3-14. 2012.

VIEIRA, E.; VOLQUIND, L. Oficinas de Ensino: o quê, por quê? Como? 4. ed. Edipucrs. Porto Alegre, Brasil. 2002.

VIVEIRO, A. A.; DINIZ, R. E. S. Atividades de campo no ensino das ciências e na educação ambiental: refletindo sobre as potencialidades desta estratégia na prática escolar. Ciência em Tela, v. 2, n. 1, pp. 1-11. 2009.

ZIMMERMANN, E.; BERTANI, J. A. Um novo olhar sobre os cursos de formação de professores. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 20, n. 1, pp. 43-62. 2003.

Cómo citar
Aparecida Felicetti, S., Isabel, I. C. M. L., & Ohse, M. L. (2017). Aprendizagem de conceitos de astronomia no ensino fundamental: uma oficina didática em preparação para a OBA. Góndola, enseñanza Y Aprendizaje De Las Ciencias, 12(2), 32. https://doi.org/10.14483/23464712.10035
Publicado: 2017-07-07
Sección
ARTÍCULOS