O rio uruguai como estratégia de contextualização para ensino em uma unidade de restrição de liberdade para adolescentes

The Rio Uruguay as of contextualization theme for teaching in a unit of restriction of freedom for teenagers

  • Edward Frederico Castro Pessano Universidade Federal do Pampa
  • Eliziane da Silva Dávila Universidade Federal do Pampa
  • Daniel Morin Ocampo Universidade Federal de Santa Maria
  • Cynara Terezinha Teixeira Miralha Universidade Federal do Pampa
  • Vanderlei Folmer Universidade Federal do Pampa
  • Robson Luiz Puntel Universidade Federal do Pampa
Palabras clave: Contextualization, restriction of freedom, teaching Uruguay River (en_US)
Palabras clave: contextualização, ensino, Rio Uruguai, restrição de liberdade (pt_BR)

Resumen (pt_BR)

Historicamente os processos de ensino em unidades de restrição de liberdade apresentam diversos problemas e complexidades que vão além das questões educacionais e pedagógicas, as quais, por sua vez, tornam o processo de ressocialização uma tarefa difícil e pouco eficaz. Neste cenário, investir em uma educação atrativa e voltada a realidade dos adolescentes pode ser uma das estratégias para a minimização da problemática existente e permitir que o adolescente tenha interesse em retornar ao ambiente escolar quando em liberdade. Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo avaliar a aplicação de uma estratégia pedagógica baseada na contextualização do ensino a partir da temática Rio Uruguai, voltado para a melhoria dos processos educacionais em uma escola localizada no interior de uma unidade de restrição de liberdade. O uso da contextualização se deu a partir da metodologia da formação continuada dos professores, seguido pela problematização interdisciplinar do ensino. Entre os principais resultados destaca-se a maior motivação dos professores em desenvolver seu trabalho na instituição socioeducativa e a maior participação e aproveitamento escolar dos estudantes durante e após o projeto desenvolvido, respectivamente. Acreditamos que o desenvolvimento desse projeto, bem como a intervenção decorrente desse, são fatores que podem ter contribuído para com a formação social e cognitiva dos mesmos. Além disso, pode-se sugerir que esse projeto/intervenção contribuiu para tornar o ambiente educacional, dentro da unidade de atendimento, menos difícil e complexo em suas relações.

Resumen (en_US)

Historically, teaching processes in units with freedom restriction have various problems and complexities that surpass the educational and pedagogical issues, which, in turn, make the rehabilitation process vary hard and almost inefficient. Accordingly, bet in an attractive and focused education (i.e. from the adolescents reality) can be one strategy to minimize related problems, tentatively to increase their interested in returning to school environment when released (in freedom). Thus, this study aims to evaluate the application of a pedagogical strategy based on the contextualization of teaching, by using the Rio Uruguay as a theme, in order to improve the educational process in a school located within a freedom restriction institution. The contextualization of teaching occurred associated to the methodology of continuing education of teachers, followed by interdisciplinary problematizing of the teaching. The major findings of this study highlight to the increase in the motivation of teachers to develop their work in the socio-educational institution, and also to the greater participation and academic success of students during and after the project developed, respectively. Based on this, we believe that the project/intervention could, putatively, have contributed to social and cognitive training of the students. Additionally, we believed that this intervention have contributed to make the educational environment within this educational unit less difficult and complex in their relations.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Edward Frederico Castro Pessano, Universidade Federal do Pampa

Licenciado em Biologia - PUCRS

Especialista em Educação Ambiental - FACISA

Mestre em Educação em Ciências - UFSM

Doutorando em Educação em Ciências - UFSM

Professor da Universidade Federal do Pampa

Referencias

Azevedo, C. et al. (2003). Diversidade específica, densidade e biomassa da ictiofauna da nas¬cente do arroio Felizardo, bacia do rio Uruguai médio, Uruguaiana, RS, Brasil. Biodiversidade Pampeana, Uruguaiana, 1(1), 35-45.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Editora 70. Lisboa: Portugal.

Berbel, N. (Org.). (1999). Metodologia da proble¬matização: fundamentos e aplicações. Londri¬na: Editora da UEL/INEP.

Bordenave, J. e Pereira, A. (2010). Estratégias de Ensino-Aprendizagem. 30ª ed. Petrópolis: Ed. Vozes.

Brasil, Secretaria de Educação Média e Tecnoló¬gica (2002). PCN+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da Nature¬za, Matemática e suas Tecnologias. Brasília.

Carvalho, F. (2011). Adolescente Autor de Ato In¬fracional x Escola: Quem Fala, Quem Escuta? Revista Brasileira Adolescência e Conflituali¬dade, 4, 135-148.

Cerati, T. e Lazarini, R. (2009). Pesquisa-ação em educação ambiental: uma experiência no en-torno de uma unidade de conservação urbana. Ciência & Educação, 15(2), 383-92.

Chassot, A. (2003). Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, 23(22), 89-100.

Conceição, W. (2013). Escola e privação de liberda¬de: um diálogo em construção. Revista Brasi-leira Adolescência e Conflitualidade, 9, 72-88.

Delizoicov, D., Angotti, J. e Pernambuco, M. (2002). Ensino de ciências: fundamentos e métodos. São Paulo: Editora Cortez.

Fazenda, I.(2002). Interdisciplinaridade: um pro¬jeto em parceria. 5ª Edição. Rio de Janeiro: Editora Loyola,

Franco, M. (2005). Pedagogia da Pesquisa-Ação. Educação e Pesquisa, 31(3), 483-502.

Freire, P. (1997). Extensão ou comunicação? Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra.

Freire, P. (2008). Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra.

Galvani, F. (2003). Vegetação e aspectos ecoló¬gicos do Parque Estadual do Espinilho, Barra do Quaraí, RS. Programa de Pós-Graduação em Botânica. Tese de Doutorado em Botânica -Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Gehlen, S., Maldaner, O. e Delizoicov, D. (2012). Momentos pedagógicos e as etapas da situa¬ção de estudo: complementaridades e contri¬buições para a educação em ciências. Ciência & Educação, 18(1), 1-22.

Granja, C. (2006). Musicalizando a escola: música, conhecimento e educação. Coleção Ensaios Transversais. São Paulo: Editora Escrituras.

Halmenschlager, K. (2011). Abordagem temática no ensino de ciências: algumas possibilidades. Vivências, 7(13), 10-21.

Hugo, R. (2013). A ineficácia na aplicabilidade da medida sócioeducativa de internação. Curso de Direito. Monografia de Graduação em Di¬reito. Brasília: Centro Universitário de Brasília.

Kato, D. e Kawasaki, C. (2011). As concepções de contextualização do ensino em documentos curriculares oficiais e de professores de ciên¬cias. Ciência & Educação, 17(1) 35-50.

Lopes, A. (2002). Os parâmetros curriculares na¬cionais para o ensino médio e a submissão ao mundo produtivo: O caso do conceito de con¬textualização. Educação & Sociedade, 23(80), 386-400.

Lopes, I. et al. (2011). Estudos coletivos de edu¬cação ambiental como instrumento reflexivo na formação continuada de professores de ci¬ências em espaços educativos formais e não formais. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 10(3), 516-530.

Lorenzetti, L y Delizoicov, D. (2001). Alfabetiza¬ção Científica no contexto das séries iniciais. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, 3(1) 1-17.

Maldaner, O. (2001). Situação de estudo como pos¬siblidade concreta de ações coletivas interdis-ciplinares no ensino médio: ar atmosférico. In Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, volume 3. Atibaia. Anais: ABRAPEC.

Oliveira, A. (2010). Fundação Casa e o trabalho educativo escolar. Programa de Pós-Gradu¬ação em Educação. Dissertação de Mestrado em Educação. São Paulo: Universidade Cidade de São Paulo.

Oliveira, C. e Moreira, P. (2014). Docência na So¬cioeducação. Brasília: Editora UNB.

Onofre, E. (2013). Políticas de formação de educa¬dores para os espaços de restrição e de priva-ção de liberdade. Revista Eletrônica de Educa¬ção, 7(1), 137-158.

Pessano, E. et al. (2005). Ictiofauna do arroio Qua¬rai-Chico, bacia do médio rio Uruguai, no inte-rior do Parque Estadual do Espinilho, Rio Gran¬de do Sul, Brasil. Biotemas, 18(2), 143-153.

Pessano, E. et al. (2008). Análise da atividade pes¬queira no rio Uruguai médio, diante do pa-norama da associação de pescadores de Uru¬guaiana, RS–Brasil. Biodiversidade Pampeana, 6(2), 49-62.

Pessano, E. et al. (2013). Percepções socioambien¬tais de estudantes concluintes do ensino fun-damental sobre o rio Uruguai. Revista Ciên¬cias & Ideais, 4(2), 1-26.

Querol, M., Querol, E. e Pessano, E. (2004). In¬fluência de fatores abióticos sobre a dinâmica de reprodução do cascudo Viola Loricariich¬thys platymetopon (ISBRUCKER & NIJSSEN, 1979) (OSTEICHTHYES, LORICARIIDAE), no reservatório da estância Nova Esperança, Uru¬guaiana, bacia do rio Uruguai, RS, Brasil. Bio¬diversidade Pampeana, 2, 24-29.

Querol, M. et al. (2013). Ocorrência de Lim¬noperna fortunei (Mollusca, Mytilidae), no rio Uruguai, município de Uruguaiana, Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, Pampa Brasileiro. Biotemas, 26(3), 249-254.

Rio Grande Do Sul (Estado Brasileiro). (2011). Pro¬posta Pedagógica para o Ensino Médio Politéc-nico e Educação Profissional Integrada ao Ensi¬no Médio 2011-2014. Porto Alegre: Secretaria de Educação do Estado do Rio Grande do Sul.

Rosa, M., Dos S e Schnetzler, R. (2003). Iinvesti¬gação-ação na formação continuada de pro-fessores de ciências. Ciência & Educação, 9(1) 27-39.

Ruppenthal, R. (2013). Ensino do sistema respira¬tório através da contextualização e atividades práticas. Programa de Pós Graduação de Edu¬cação em Ciências, Química da Vida e Saúde. Dissertação de Mestrado–Universidade Fede¬ral de Santa Maria.

Santos, W. (2007). Contextualização no ensino de ciências por meio de temas CTS em uma pers-pectiva crítica. Ciência & Ensino, 1,especial, 1e-12e.

Santos, D., Boccardo, L. e Razera. J. (2009). Uma Experiência Lúdica no Ensino de Ciências so¬bre os Insetos. Revista Iberoamericana de Edu¬cación, 50(7), 1e-3e.

Souza, R. (2011). O ensino formal da Fundação CASA e a Interdisciplinaridade como busca de

sentido para um novo Currículo. Programa de Pós Graduação em Educação. Dissertação de mestrado em Educação. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica.

Vygotski, L. (1999). Formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes.

Wartha, E. e Faljoni-Alário, A. (2005). Contextualiza¬ção no ensino de química através do livro didáti¬co. Revista Química Nova na Escola, 22, 42-47.

Zanella, M. (2010). Adolescente em conflito com a lei e escola: uma relação possível? Revista Brasileira Adolescência e Conflitualidade, 5(3) 4-22.

Cómo citar
Pessano, E. F. C., Dávila, E. da S., Ocampo, D. M., Miralha, C. T. T., Folmer, V., & Puntel, R. L. (2015). O rio uruguai como estratégia de contextualização para ensino em uma unidade de restrição de liberdade para adolescentes. Góndola, enseñanza Y Aprendizaje De Las Ciencias, 10(1), 74-101. https://doi.org/10.14483/udistrital.jour.GDLA.2015.1.a05
Publicado: 2015-01-01
Sección
ARTÍCULOS